Dados do COR confirmam que medidas restritivas reduziram a circulação de pessoas em quase a metade no Rio

Vera Araújo
1 / 2

88112510_Rio de Janeiro 12-05-2020 Medidas de isolamento mais restritivas em Madureira Na foto a Ave.jpg

Na Avenida Ministro Edgard Romero, em Madureira, só os veículos de moradores vão poder circular

As medidas restritivas contra o novo coronavírus para reduzir a circulação de pessoas na capital já estão surtindo efeito. De acordo com o Centro de Operações Rio (COR), houve uma queda na movimentação de pedestres nos 11 bairros. Os locais foram escolhidos pela prefeitura por haver áreas comerciais e, portanto, registros de aglomeração.  O estudo foi realizado em parceria com a Tim, a partir de dados de terça (12) e quarta-feira (13), até às 9h35m de cada dia. Madureira, no subúrbio do Rio, foi o bairro que mais apresentou queda de um dia para o outro, atingindo uma redução de 42,3%, ou seja, caiu de 1.115 para 643 pessoas em circulação. Em compensação, na Freguesia, na Zona Oeste, registrou-se a menor redução: 5,2% (de 1.970 para 1.867). O decreto do prefeito Marcelo Crivella entrou em vigor na terça-feira no Rio e vale por, pelo menos, sete dias.

Entre os bairros selecionados pela prefeitura estão ainda: Tijuca, Grajaú, Méier, Cascadura,Pavuna, Taquara, Realengo, Santa Cruz e Guaratiba.

– Observamos que, nos locais onde a Prefeitura atua, houve uma boa redução na circulação de pessoas. No geral, notamos aglomerações em supermercados e em locais onde as pessoas fazem exercícios, como calçadões. Sendo esse último, apenas em determinados horários. Houve registro de grande movimentação também em algumas comunidades, que insistem em fazer eventos e comércio internos – ressaltou o chefe executivo do COR, Alexandre Cardeman.

Há bairros que não constam no decreto, mas que a adesão ao isolamento é reduzida. São eles: Bangu e Campo Grande, ambos na Zona Oeste. Neles, houve o bloqueio de algumas vias, principalmente em ruas onde há agências da Caixa Econômica Federal, por conta das aglomerações de pessoas em busca do auxílio emergencial do governo federal.  Nos mesmos dias e horário do levantamento feito com os locais selecionados pela prefeitura, Campo Grande, considerado o primeiro no ranking dos bairros onde há maior circulação de pessoas, chegou a obter uma queda de 43,82% . Foram 6.254 pedestres no dia 12, contra 3.513, na quarta-feira, até 9h35m.