Dados de cartões de crédito de 227 mil brasileiros são vendidos na dark web

·1 min de leitura
Cartão de crédito é vendido em média por R$ 55 na dark web. Foto: Getty Images.
Cartão de crédito é vendido em média por R$ 55 na dark web. Foto: Getty Images.
  • O preço médio de um número roubado de cartão de crédito vendido na dark web é de US$ 9,70;

  • A empresa de cibersegurança NordVPN investigou números de 4,4 milhões de cartões de créditos vendidos no espaço digital;

  • Segundo a análise, são 140 países atingidos pelo cibercrime, incluindo o Brasil.

A NordVPN, companhia de cibersegurança, investigou números de 4,4 milhões de cartões de créditos que estão sendo vendidos na dark web. O preço médio está por volta de US$ 9,70, o equivalente a R$ 55.

Na análise, entre os 140 países atingidos pelo cibercrime, os Estados Unidos estão em primeiro lugar, com 1,5 milhão de cartões sendo negociados, enquanto a Austrália conta com 400 mil. Os dois países configuram quase metade de todos os cartões vendidos no espaço digital.

Leia também:

No relatório, o Brasil conta com 227 mil números de cartões identificados sendo vendidos por volta de US$ 6,54, o equivalente a R$ 36.

A bandeira mais afetada é a Mastercard, presente em 137 mil cartões, seguida pela Visa, com quase 80 mil, e Elo, que passa dos 6 mil.

Enquanto isso, a região considerada mais vulnerável para a prática foi Hong Kong. Lá, o índice de risco, que leva em conta a quantidade de cartões não reembolsáveis, número populacional e número de cartões em circulação, alcançou o maior possível, dentro da escala de zero a um.

Contudo, não existe forma concreta de evitar a ameaça. Para diminuir a possibilidade, é necessário que os usuários acompanhem regularmente o extrato mensal e alertem o banco imediatamente caso haja irregularidade.

Em contrapartida, os bancos podem elaborar sistemas de senhas mais resistentes e podem usar ferramentas inteligentes para detectar e prevenir tais ataques.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos