Dados enviados pelo James Webb podem estar sendo interpretados incorretamente

Para ajustar esse cenário, pesquisadores propuseram mais medições de laboratório e melhorar os cálculos teórico do James Webb
Para ajustar esse cenário, pesquisadores propuseram mais medições de laboratório e melhorar os cálculos teórico do James Webb (NASA)
  • Diagnóstico foi realizado por pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT);

  • Leituras imprecisas dos dados significariam que os insights obtidos seriam pouco confiáveis;

  • Para a Nasa, foi necessário gastar US$ 10 bilhões (mais de R$ 53 bilhões) ao longo de 25 anos para criar o telescópio.

Um novo estudo realizado por pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) descobriu que os astrônomos podem estar interpretando as medições de atmosferas de exoplanetas, através do Telescópio Espacial James Webb, de maneira errada.

Em comunicado, os cientistas do MIT declararam que "a análise de atmosferas de exoplanetas distantes pode ​​estar errada em uma ordem de magnitude. Há uma diferença cientificamente significativa entre um composto como a água estar presente em 5% versus 25%, que os modelos atuais não conseguem diferenciar".

De acordo com o portal Space.com, os modelos em questão analisam a opacidade do material observado pelo Webb, uma medida de quanta luz passa por ele ou é absorvida, e em quais comprimentos de onda isso ocorre. Como cada elemento químico absorve a luz de maneira diferente, os astrônomos podem reconstruir as composições químicas e as proporções desses produtos químicos em grande detalhe usando essas medidas. Mas leituras imprecisas dos dados significariam que os insights obtidos seriam pouco confiáveis.

Para ajustar esse cenário, os pesquisadores também propuseram possíveis melhorias, como fazer mais medições de laboratório para validar o comportamento de absorção de luz de vários compostos químicos e melhorar os cálculos teóricos.

Altos custos

Para a Nasa, foi necessário gastar US$ 10 bilhões (mais de R$ 53 bilhões) ao longo de 25 anos para criar o telescópio James Webb.

De acordo com a agência espacial norte-americana, cientistas e engenheiros de mais de 300 universidades e empresas de 15 países participaram da concepção da criação astronômica que revolucionou a ciência e possibilitará novas descobertas nos próximos anos.

Antes do lançamento, imagens precisas e alta definição vinham apenas do Telescópio Espacial Hubble, que entrou na órbita da Terra em 1990.