Damares Alves afirma na Câmara que mulher submissa no casamento é 'questão de fé'

Andréa Martinelli
Após faltar à primeira reunião, ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos participa da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Câmara.

Para a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, na concepção cristã, as mulheres devem ser submissas ao homem no casamento. A declaração de Damares foi dada nesta terça-feira (16), em Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Câmara dos Deputados

Questionada pela deputada Alice Portugal (PCdoB-BA) sobre se a mulher deveria ser submissa ao homem ― fala que proferiu em sua igreja como pastora e que circula pela internet ― a ministra afirmou que “sim, dentro da doutrina cristã, o homem é o líder do casamento”.

“Essa é uma fala que fiz na minha igreja”, pontuou a ministra. “Dentro da doutrina cristã, lá dentro da igreja, sim, nós entendemos que, num casamento entre homem e mulher, o homem é o líder do casamento. Então essa é uma percepção lá dentro da minha igreja, dentro da minha fé.”

Damares completou a resposta à deputada dizendo que não está incentivando as mulheres a “abaixar a cabeça para o patrão, para o agressor, para os homens que estão aí”, mas que pensar dessa forma é uma “questão de fé” e que isso não a faz incompetente ou menos capaz de comandar um ministério.

Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Câmara dos Deputados nesta terça (16).

“Quero dizer, com isso, que todas mulheres devem ser submissas, abaixar a cabeça para o patrão, para o agressor, para os homens que estão aí? Não. Mas dentro da minha concepção cristã, sim, no casamento, a mulher é submissa ao homem. É uma questão de fé. Isso não me faz menos capaz de dirigir este ministério. Não me faz mais incompetente. É uma questão de fé lá dentro do meu segmento.”

Ministra maluca”

Em seguida, a ministra disse que ataques e ridicularização a que está sendo exposta vem de “todos os lados, inclusive do parlamento”, mas que isso não a preocupa. O que a incomoda é a ideia de que “temos uma ministra maluca.”

“Mas minha única preocupação é, enquanto eles estão ridicularizando, a mulher, a Damares, a pastora, isso não estava me preocupando. Começou...

Continue a ler no HuffPost