Daniel Alves diz que relação foi consensual, mas se cala ao ser questionado sobre denúncia

Daniel Alves tem se mantido calmo, reservado, com poucas palavras e sem externar muitas emoções durante os contatos com outros detentos e funcionários do presídio em Barcelona. O brasileiro é suspeito de estupro e, nesta segunda-feira, sua defesa apresentará um recurso pedindo liberdade provisória. Nas conversas dentro da unidade prisional, o jogador tem afirmado que teve uma relação consensual com a jovem de 23 anos que o acusa de agressão sexual. Mas se cala quando questionado sobre as denúncias. As informações são do jornal espanhol "La Vanguardia".

Seleção brasileira: procurados, colegas de Daniel Alves não se manifestam sobre acusação de estupro do jogador da seleção

Acusado de agressão sexual: Daniel Alves joga futebol na prisão pela primeira vez, e funcionários param para assistir

Segundo relatos obtidos pelo veículo, o lateral-direito pediu para ser tratado como os outros presos da cadeia Brians 2, alegando que "o jogador ficou de fora, e o Dani que está aqui é mais um [detento]". Na prisão, ele já afirmou que vai aceitar o parecer que vier da Justiça, e usou sua história de vida como exemplo de superação para ajudá-lo a enfrentar o momento. "Saí de casa quando tinha apenas 15 anos. Superei situações muito difíceis e complicadas. Essa será mais uma que vai passar. Nada me assusta", teria dito ele. O julgamento ainda não tem data para acontecer.

Preso há pouco mais de uma semana, o futebolista pediu aos advogados que os pais, em especial a mãe, não o visitassem na penitenciária por enquanto. Lúcia Alves chegou à capital da Catalunha na última semana. O ex-atleta do Pumas, clube do México que reincidiu o contrato com Daniel Alves logo após o escândalo, mantém contato com os familiares mais próximos por meio de ligações, mas afirma que não gostaria de ser visto por eles atrás das grades.

Medida cautelar: Daniel Alves está disposto a usar pulseira eletrônica para sair da cadeia

Em conversa com o novo advogado, Cristóbal Martell, e com seu sócio Arnau Xumetr, ele disse estar disposto a permanecer no país o tempo necessário até ser julgado pelas autoridades jurídicas. Para os dois, ele teria dito que não pretende fugir da Espanha e que está disposto a apresentar medidas cautelares para cumprir a prisão preventiva fora do presídio.

Defesa apresenta recursos

O advogado de Daniel Alves se apresenta ao tribunal nesta segunda-feira para apresentar o recurso ao Tribunal Provincial de Barcelona. Dentre os argumentos a serem utilizados, está uma longa carta escrita por Daniel Alves — que não entra no mérito dos fatos — garante aos magistrados que ele não fugirá de Barcelona.

Martell também vai solicitar o uso da pulseira eletrônica, o que assegura que o lateral-direito não fará movimentações que envolvam passaportes ou dinheiro. Depois de levar o recurso à Justiça, o advogado precisa ainda distribuí-lo à defesa da jovem de 23 anos e ao Ministério Público, que terão cinco dias para expor suas respectivas alegações.