Daniel Silveira se diz abandonado e critica base do governo na PEC da Imunidade: 'Fui boi de piranha'

Redação Notícias
·1 minuto de leitura
Para Silveira, foi incoerente o plenário da Câmara decidir por 364 votos mantê-lo preso, mas dias depois aprovar “às pressas” por 304 votos as mudanças na Constituição que o protegeriam (Foto: Agência Brasil)
Para Silveira, foi incoerente o plenário da Câmara decidir por 364 votos mantê-lo preso, mas dias depois aprovar “às pressas” por 304 votos as mudanças na Constituição que o protegeriam (Foto: Agência Brasil)

O deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) criticou parlamentares da base do governo de Jair Bolsonaro (sem partido) que votaram pela sua prisão na semana passada e que, nesta quarta-feira (25), também votaram pela aprovação da chamada PEC da Imunidade.

Para Silveira, foi incoerente o plenário da Câmara decidir por 364 votos mantê-lo preso, mas dias depois aprovar “às pressas” por 304 votos as mudanças na Constituição que o protegeriam.

Leia também

Ao jornal O Globo, interlocutores que visitaram o deputado na prisão afirmaram que ele avalia que a Câmara estaria atuando para se proteger, mas não para protegê-lo.

A reclamação o deputado é direcionada principalmente a deputados do Centrão, grupo que tem conquistado cada vez mais espaço no Planalto. Segundo ele, há a sensação de abandono.

Silveira ainda disse acreditar que foi usado como “boi de piranha” para amenizar a relação entre Congresso e STF, segundo o jornal O Globo.

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da Imunidade dificulta a prisão de congressistas. Se já estivesse em vigor, por exemplo, o texto impediria a prisão do deputado bolsonarista, determinada na semana passada por unanimidade no pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Silveira também se mostrou desesperançoso com a possibilidade de conseguir algum habeas corpus para deixar a prisão. De acordo com ele, como Câmara e STF já consideraram sua prisão legal, não há nenhum aspecto jurídico que possa ser usado por sua defesa — a principal esperança é de que sua prisão seja transformada em domiciliar.