Daniella Marques, secretária da Economia, substituirá Pedro Guimarães na presidência da Caixa, diz fonte

Sede da Caixa Econômica Federal em Brasília

Por Bernardo Caram

BRASÍLIA (Reuters) - O governo decidiu indicar para o comando da Caixa Econômica Federal a atual secretária especial de Produtividade e Competitividade do Ministério da Economia, Daniella Marques, após crise envolvendo acusações de assédio envolvendo o atual presidente do banco público, Pedro Guimarães, informou à Reuters uma fonte com conhecimento do assunto.

Guimarães está sendo investigado pelo Ministério Público Federal após denúncias de assédio sexual contra funcionárias da instituição, publicou na terça-feira o site Metrópoles. Segundo o site, a investigação do MPF está sob sigilo.

Considerada braço direito do ministro da Economia, Paulo Guedes, Daniella foi assessora especial na pasta desde o início da gestão do presidente Jair Bolsonaro e assumiu o comando da secretaria especial de Produtividade em fevereiro deste ano.

Entre as medidas adotadas sob sua gestão na secretaria, está um programa de empreendedorismo e crédito voltado para mulheres.

Formada em Administração pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e com MBA em Finanças pelo IBMEC/RJ, Daniella atuou por 20 anos no mercado financeiro. Antes de assumir as funções no governo, ela foi sócia e diretora de fundos de investimento.

Fontes com conhecimento do assunto informaram à Reuters que Guimarães deixará o cargo ainda nesta quarta-feira.

O atual chefe da Caixa está no cargo desde janeiro de 2019 e chegou ao posto por indicação de Guedes.

Conforme a reportagem do Metrópoles, que ouviu funcionárias que teriam sido vítimas dos abusos sob anonimato, Guimarães --um dos integrantes do governo mais próximos do presidente Jair Bolsonaro-- teve condutas inapropriadas. Elas citaram toques íntimos não autorizados, convites para jantares e outros encontros.

Procurada, a Caixa e a Secretaria de Comunicação da Presidência não responderam de imediato a pedido de comentário da Reuters.

Segundo uma das fontes, uma das preocupações de aliados de Bolsonaro é que o caso venha a ser explorado na campanha com o eleitorado feminino, parcela em que o presidente já tem tido dificuldades de conquistar votos, segundo as pesquisas de intenção de voto.

PROTESTO

Entidades que representam bancários e funcionários da Caixa promoveram uma manifestação nesta tarde na frente da sede do banco, cobrando o "afastamento imediato" do presidente da instituição.

"Trata-se de um comportamento repugnante, que, se confirmado pelo Ministério Público Federal, exige das autoridades competentes punição exemplar –como demissão– para que não mais volte a se repetir, seja qual for o mandatário de plantão, não somente no banco, mas em todos os demais órgãos da administração pública federal", afirmou o Sindicato dos Bancários de Brasília em comunicado.

A denúncia contra Guimarães ocorre em um momento em que a categoria trava negociações trabalhistas com o setor bancário, cobrando fim de demissões, contratações e redução de jornada de trabalho.

Na manifestação, funcionários da Caixa vestiram preto e entregaram flores a colegas.

"É muito chocante ver colegas nossas, que entraram na Caixa junto comigo em concurso público para trabalhar em prol do desenvolvimento do país estarem sendo submetidas a questões tão graves assim", afirmou Rachel Weber, funcionária do banco estatal e diretora da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae).

"A gente não consegue imaginar a dor que estas mulheres podem estar sentindo. Não imaginava que pudesse haver situações tão graves assim. É um dia muito difícil, mas ao mesmo tempo é de sentir orgulho dessas mulheres, pela coragem delas e de perceber que as mulheres juntas conseguem derrubar (um presidente da Caixa)", acrescentou.

(Com reportagem adicional de Ueslei Marcelino)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos