Datafolha: Bolsonaro é rejeitado por 53%; Lula tem 36%

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
O presidente Jair Bolsonaro é reprovado por 53%, enquanto o ex-presidente Lula, líder nas pesquisas, não receberia de jeito nenhum o voto de 36% do eleitorado, segundo o levantamento do Datafolha. (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
O presidente Jair Bolsonaro é reprovado por 53%, enquanto o ex-presidente Lula, líder nas pesquisas, não receberia de jeito nenhum o voto de 36% do eleitorado, segundo o levantamento do Datafolha. (Foto: REUTERS/Adriano Machado)

Na batalha para diminuir as rejeições no caminho para as eleições de outubro, o presidente Jair Bolsonaro (PL) é reprovado por 53%, segundo a mais nova pesquisa Datafolha, divulgada nesta quinta-feira (28).

ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), líder nas pesquisas, não receberia de jeito nenhum o voto de 36% do eleitorado entrevistado desta vez.

A mais recente rodada do levantamento indica oscilação negativa em relação aos números do último Datafolha para o presidente.

Em busca da reeleição, ele segue como o mais rejeitado dentre todos os candidatos presidenciais — neste ano, segundo o Datafolha, sempre mais da metade do eleitorado tem se recusado a votar nele. Em junho, 55% não votariam em Bolsonaro de jeito nenhum.

Lula, por sua vez, se manteve estável na margem de erro com 36% de rejeição frente aos 35% de rejeição em junho.

Entre outros candidatos, Ciro Gomes (PDT) viu sua rejeição oscilar poscitivamente de 24% em junho para 25%, enquanto Simone Tebet (MDB) foi de 14% para 16% de reprovação agora. Não votariam em André Janones (Avante) 14%, mesma porcentagem observada em junho.

A pesquisa Datafolha ouviu 2.556 eleitores presencialmente em 181 municípios de todas as regiões do país. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais e para menos, e o índice de confiança é de 95%. O registro da sondagem no TSE é BR-01192/2022.

Datafolha: Lula tem 55% no 2º turno, ante 35% de Bolsonaro

No eventual segundo turno entre Lula e Bolsonaro, o petista derrota o presidente por 55% a 35%, segundo o Datafolha.

Dizem não votar em nenhum dos dois 7%, enquanto 2% se mostram indecisos. Na rodada anterior, realizada pelo Datafolha em 22 e 23 de junho, a situação era semelhante: o ex-presidente (2003-2010) batia o atual por 57% a 34%.

Lula avança entre homens, e Bolsonaro cresce entre mulheres

O Datafolha também registrou crescimento de Bolsonaro (PL) no eleitorado feminino, segmento que corresponde à maioria da população.

Entre as mulheres, ele tem agora 27% das intenções de voto, o que significa um crescimento de seis pontos percentuais em relação ao levantamento anterior. Lula, no entanto, segue liderando nesse estrato, com 46%.

Mas apesar de seguir na dianteira, o petista registrou oscilação negativa: na pesquisa feita em junho, ele tinha 49% das intenções de votos entre as mulheres, uma queda dentro da margem de erro neste segmento, que é de três pontos percentuais.

Entre os eleitores homens, no entanto, ele marcava 44% no mês passado e agora tem 48%. Bolsonaro tinha 36% e agora marca 32%.

Veja como foram as últimas pesquisas eleitorais de 2022:

O Datafolha entrevistou, nesta quarta e quinta-feira, 2.556 eleitores em 183 municípios de todas as regiões do país. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BR-01192/2022. O índice de confiança é de 95%.

Lula tem 51,6% dos votos válidos e poderia vencer no 1º turno

O candidato do PT poderia vencer a eleição presidencial no primeiro turno, caso o pleito acontecesse no cenário atual, de acordo com as projeções do Datafolha.

De acordo com o levantamento, Lula marca 51,6% dos votos válidos, enquanto Bolsonaro marca 31,8%. Ciro Gomes marca 8,8% das intenções nesse cenário.

O cálculo desconsidera as intenções de voto nulo e em branco, assim como aqueles que não responderam ao questionário, ou seja, só são consideradas as respostas de quem escolheu um candidato, tal como é feito nas eleições.

A vantagem do petista em relação à soma dos concorrentes está dentro da margem de erro do levantamento.

com informações do jornal Extra e da Folhapress

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos