Datafolha: Lula supera Bolsonaro em São Paulo, Minas e Rio de Janeiro

A vantagem do ex-presidente Lula sobre Bolsonaro é de 15 pontos na média, vencendo em Minas Gerais, em São Paulo e Rio de Janeiro, segundo Datafolha. (Foto: Yahoo Notícias)
A vantagem do ex-presidente Lula sobre Bolsonaro é de 15 pontos na média, vencendo em Minas Gerais, em São Paulo e Rio de Janeiro, segundo Datafolha. (Foto: Yahoo Notícias)

A vantagem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sobre o presidente Jair Bolsonaro (PL) na eleição presidencial, que é de 15 pontos na média nacional, varia conforme o estado, sendo maior em Minas Gerais, mas menor em São Paulo e Rio de Janeiro.

Pesquisa Datafolha desta quinta-feira (18) mostrou que, em todo o país, Lula tem 47% de intenção de votos contra 32% de Bolsonaro.

O levantamento mostra que, entre os paulistas, Lula marca 44% e Bolsonaro, 31%, uma diferença de 13 pontos. Em 1º de julho, o petista tinha 43% contra 30% do atual presidente, ou seja, o cenário se mantém estável.

No Rio de Janeiro, a diferença é menor, de 6 pontos — Lula tem 41% e Bolsonaro, 35%. Na última pesquisa, as pontuações eram de 41% contra 34%, respectivamente, o que também demonstra estabilidade.

Já em Minas Gerais, Lula alcança 49% e Bolsonaro chega a 29%. Também em 1° de julho, o petista tinha 48% ante 28% de Bolsonaro — novamente, houve variação dentro da margem de erro.

A pesquisa Datafolha, contratada pela Folha de S.Paulo e pela TV Globo, ouviu 5.744 pessoas em 281 cidades do país de terça (16) a quinta-feira (18). A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos. O levantamento foi registrado no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número BR-09404/2022.

Ciro Gomes (PDT), que está em terceiro lugar na média nacional, com 7%, tem 9% em São Paulo; 7% no Rio de Janeiro e 6% em Minas Gerais.

Simone Tebet (MDB), que marcou 2% na pesquisa nacional, vai a 3% entre moradores de São Paulo e do Rio e tem 2% em Minas Gerais.

Veja como foram as últimas pesquisas eleitorais de 2022:

Vera Lúcia (PSTU) tem 1% nos três estados. Roberto Jefferson (PTB) e Eymael (DC) têm 1% em São Paulo, mas não pontuam nos demais estados, enquanto Felipe D'Avila (Novo) tem 1% no Rio de Janeiro e não pontua nos demais.

Pablo Marçal (Pros) teve 1% em São Paulo e Minas Gerais, mas sua candidatura foi retirada pelo partido. Os demais candidatos não chegaram a 1%.

Entre os paulistas, 7% indicaram voto nulo, em branco ou nenhum, enquanto outros 2% declararam não saber em quem votar.

No Rio, esses índices são, respectivamente, 8% e 2%. Os mineiros se dividem entre 6% de brancos e nulos e 4% que não sabem.

Bolsonaro é o candidato mais rejeitado nos três estados. Na pesquisa nacional, seu índice de rejeição é de 51%, contra 37% de Lula.

Os índices de rejeição dos candidatos em São Paulo são: Bolsonaro, 52%, e Lula, 39%.

No Rio, declararam que não votam em Bolsonaro 48% ante 39% de Lula. Já em Minas Gerais a rejeição medida foi de 50% para o presidente e 33% para o petista.

Em relação à avaliação do governo, Bolsonaro teve 43% de ruim ou péssimo, 30% de ótimo ou bom e 26% de regular —1% não sabe.

Em São Paulo, a reprovação do governo chega a 47% —contra 29% de aprovação, 23% de regular e 1% que não sabe.

No Rio de Janeiro, a divisão é, respectivamente, 44%, 31%, 24% e 1%. Em Minas Gerais, a pesquisa mostra 40% de reprovação, 31% de aprovação, 27 de regular e 2% não sabem.

por Carolinha Linhares, da Folhapress