Datafolha: Lula tem 47%; e Bolsonaro, 28% de intenção de voto para presidente, diz pesquisa

Pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira mostra que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) mantém a liderança no primeiro turno da corrida à Presidência com 47% das intenções de voto, enquanto o presidente Jair Bolsonaro (PL) aparece na segunda colocação com 28%. Em terceiro lugar aparece Ciro Gomes (PDT) com 8%, seguido por André Janones (Avante) com 2%, e Simone Tebet (MDB), com 1%. Segundo o levantamento, Lula venceria a eleição no primeiro turno com 53% dos votos válidos, se o pleito fosse hoje.

Ao vivo: colunistas do GLOBO analisam pesquisa para presidente

Pesquisa: Datafolha tem perguntas que podem incomodar Bolsonaro; veja quais são elas

A diferença entre Lula e Bolsonaro oscilou dois pontos e caiu de 21 pontos, no levantamento anterior, para 19. Veja os resultados da pesquisa:

Lula (PT) 47%

Bolsonaro (PL) 28%

Ciro Gomes (PDT) 8%

Simone Tebet (MDB) 1%

André Janones (Avante) 2%

Pablo Marçal (PROS) 1%

Vera Lúcia (PSTU) 1%

Brancos e nulos 7%

Não sabe ou não respondeu 4%

Felipe D'Ávila (Novo), Sofia Manzano (PCB), Leonardo Péricles (UP), Luciano Bivar (União), Eymael (DC) e General Santos Cruz (Podemos) não chegaram a 1%

Na pesquisa anterior, divulgada em maio, Lula aparecia com 48%, Bolsonaro (27%), Ciro Gomes (7%), André Janones (2%) e Simone Tebet (2%).

O Datafolha entrevistou, nesta quarta e quinta-feira, 2.556 eleitores em 181 municípios de todas as regiões do país. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BR-09088/2022. A margem de erro é de dois pontos percentuais, e o índice de confiança é de 95%.

Faça o teste e descubra: Você conhece todos os pré-candidatos à Presidência?

Lula critica prisão de Milton Ribeiro: 'Direito à defesa é valor monumental'

Proposta: Cientistas pedem a presidenciáveis investimento de 2% do PIB na ciência

Lockdown a gestão da Petrobras: levantamento aponta quem Bolsonaro mais culpa por problemas econômicos

Sonar: Ex-senador aliado de Bolsonaro deleta e esconde mais de 1 mil vídeos de canal no YouTube

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos