Datafolha: Lula tem 54% no 2º turno, e Bolsonaro marca 38%

Datafolha: Lula tem 54% no 2º turno, e Bolsonaro marca 38%. (Foto: Editoria de Imagem/Yahoo Notícias)
Datafolha: Lula tem 54% no 2º turno, e Bolsonaro marca 38%. (Foto: Editoria de Imagem/Yahoo Notícias)

A distância entre Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL) na simulação feita pelo Datafolha para um eventual 2º turno na eleição presidencial deste ano se manteve similar à do levantamento anterior do instituto, feito há uma semana.

Naquela rodada, o ex-presidente tinha 53% e Bolsonaro, 39%. Agora, o placar é de 54% a 38% para o petista, dentro da margem de erro da nova pesquisa, feita de terça (13) a esta quinta (15), de dois pontos percentuais.

No primeiro turno, a pesquisa eleitoral do Datafolha, divulgada na noite desta quinta-feira (15), apontou que Lula segue na liderança com 45% das intenções de voto. Já Bolsonaro teve uma oscilação negativa dentro da margem de erro, e caiu para 31%. Ciro Gomes (PDT) tem 8%, e Simone Tebet (MBD) surge com 5%.

Com o afunilamento ao longo da campanha de primeiro turno da disputa entre os dois líderes, cresce a importância do destino do voto dos terceiros colocados na disputa, Ciro Gomes (PDT) e Simone Tebet (MDB).

Segundo o Datafolha, 51% dos eleitores do pedetista dizem votar em Lula num segundo turno contra Bolsonaro, e 24% afirmam apoiar o atual presidente. Não votam em nenhum dos dois 24%.

Já entre apoiadores da senadora pelo Mato Grosso do Sul, 40% afirmam que vão com o petista e 24%, com o presidente numa segunda rodada. Dizem não votar em ninguém 33%.

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente:

Na última semana, recrudesceu a campanha do candidato petista para tentar matar o jogo no primeiro turno, o que implica ter 50% mais um dos votos válidos ao menos. Os válidos são aqueles incluídos numa conta em que brancos e nulos são excluídos, utilizados pelo Tribunal Superior Eleitoral na contagem da eleição.

Isso tem levado a uma revolta, particularmente de Ciro, que elevou o tom contra Lula, indispondo-se assim com alguns de seus correligionários. Antes enrustido, o voto útil agora é pregado pelo presidenciável petista abertamente.

A dianteira de Lula, ainda que estável, segue sendo a menor da série histórica iniciada em maio de 2021, quando ele voltou a ser incluído na corrida eleitoral após ter as condenações judiciais derrubadas pelo Supremo Tribunal Federal. Em dezembro passado, o placar chegou a 50% a 30%.

Feito entre terça (13) e esta quinta-feira (15), o levantamento tem margem de erro geral de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, considerando um índice de confiança de 95%. O instituto ouviu 5.926 eleitores em 300 municípios. A pesquisa, contratada pela Folha de S.Paulo e pela TV Globo, está registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o número BR-04099/2022.

por Igor Gielow, da Folhapress