Datafolha: Lula tem 61% contra 20% de Bolsonaro na Bahia

SALVADOR, BA (FOLHAPRESS) - A pesquisa Datafolha censurada pelo Tribunal Regional Eleitoral da Bahia a pedido da coligação do candidato a governador Jerônimo Rodrigues (PT) mostra o candidato a presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) com liderança folgada sobre os demais candidatos entre os eleitores da Bahia.

Segundo o Datafolha, Lula tem 61% das intenções de voto entre os baianos na pesquisa estimulada, contra 20% do presidente e candidato à reeleição, Jair Bolsonaro (PL), e 7% de Ciro Gomes (PDT).

Simone Tebet (MDB) e Luiz Felipe D’Ávila (Novo) têm 1% cada um. Os demais candidatos não pontuaram. Já os votos brancos e nulos somam 5% dos eleitores, e outros 4% afirmam estar indecisos.

Na pesquisa espontânea, em que os nomes dos candidatos não são mostrados, Lula marca 54%, contra 18% de Bolsonaro, 3% de Ciro Gomes e 1% de Simone Tebet. Os demais candidatos não pontuaram.

Outros 4% disseram votar em branco ou nulo, 1% disse votar no "candidato do PT" ou "13" e outro 1% respondeu nomes que não correspondem a candidatos que concorrem à Presidência. Não souberam responder 18% dos eleitores baianos.

A pesquisa também mediu a popularidade do presidente Jair Bolsonaro na Bahia. O governo federal é considerado ruim ou péssimo por 53% dos eleitores baianos, regular por 35% e bom ou ótimo por 20%. Outros 2% afirmaram não saber responder.

A pesquisa, contratada pela rádio Metrópole, de Salvador, foi registrada sob número BA-01548/2022 e foi realizada de segunda (22) a quarta-feira (24). Foram ouvidos 1.008 eleitores e a margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

A decisão liminar que censurou parcialmente a divulgação de dados da pesquisa Datafolha na Bahia foi revogada nesta quarta-feira (24) e será novamente apreciada pelo Tribunal Regional Eleitoral do estado.

Segundo o tribunal, trata-se de uma questão formal. Na terça-feira (23), o juiz Paulo Sérgio Barbosa de Oliveira havia atendido parcialmente a um pedido da coligação liderada pelo candidato a governador Jerônimo Rodrigues e censurado o trecho da pesquisa relativa à disputa pela Presidência, sob pena de pagamento de multa diária no valor de R$ 20 mil em caso de descumprimento.

O Datafolha afirma que não há motivo para a censura e que a pesquisa foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Na ação movida contra o Datafolha, o PT diz que a pesquisa está "eivada de inconsistências" e alega que houve indução ao erro nas questões dirigidas aos eleitores.

Citam o fato de a pesquisa informar no registro que serão mensuradas as intenções de voto para governador e senador, mas também incluídas em seus questionários perguntas sobre a disputa para a Presidência da República. Também questiona uma suposta ausência, no registro da pesquisa, do plano amostral e das ponderações "quanto a gênero, idade, grau de instrução, nível econômico da pessoa entrevistada e área física de realização do trabalho a ser executado".

Ao justificar o pedido de censura à pesquisa, a coligação liderada por Rodrigues alega que "permitir a divulgação de pesquisa que não expressa a realidade causará prejuízos irreversíveis à lisura eleitoral".

"O instituto cumpriu todas as regras de registro estabelecidas pelo TSE", diz Luciana Chong, diretora do Datafolha.

Em outra representação na Justiça Eleitoral, a coligação liderada pelo candidato petista também contestou pesquisa do Ipec, instituto formado por ex-executivos do Ibope Inteligência. Nesta quarta, a juíza Carina Cristiane Ganguçu Virgens, do TRE da Bahia, rejeitou o pedido. A pesquisa Ipec foi contratada pela TV Bahia, registrada sob número BA-02873/2022, com previsão de divulgação na sexta (26).