Datafolha mostra Lula estável com 45% e Bolsonaro oscila de 34% para 33%

Espectadores assistem aos candidatos Lula (PT) e Bolsonaro (PL) em debate presidencial, em São Paulo

Por Maria Carolina Marcello

BRASÍLIA (Reuters) -O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) manteve seu patamar de intenções de votos para a Presidência em 45%, enquanto o presidente Jair Bolsonaro (PL) oscilou 1 ponto percentual para baixo e foi a 33%, apontou pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira, a pouco mais de duas semanas da eleição.

A diferença entre os dois líderes da corrida presidencial foi agora para 12 pontos, depois de ter caído na semana passado de 13 para 11 pontos.

Em um eventual segundo turno entre Lula e Bolsonaro, o petista venceria com 54% dos votos contra 38% do atual presidente, segundo o Datafolha. Lula oscilou 1 ponto percentual para cima em relação à última pesquisa e Bolsonaro oscilou 1 ponto para baixo. A diferença entre os dois, que era de 14 pontos no levantamento passado, foi agora a 16 pontos.

A possibilidade de a disputa eleitoral ser liquidada no primeiro turno segue indefinida. Lula detém 48% dos votos válidos, quando são excluídos os brancos e nulos. Na semana passada ele contava com 49%. Para vencer na primeira rodada de votação, o candidato precisa ter mais da metade dos votos válidos.

A uma margem distante dos dois primeiros colocados, o Datafolha traz o chamado segundo pelotão, formado por candidatos que tentam se firmar como alternativas. Segundo o instituto, Ciro Gomes (PDT) passou de 7% a 8%, seguido da senadora Simone Tebet (MDB), que manteve seus 5%. Ciro e Tebet seguem empatados tecnicamente.

Os que pretendem votar em branco ou nulo se mantêm em 4%, e 2% responderam que ainda não sabem em quem votar, ante 3% no início de setembro.

A pesquisa também mostra que Bolsonaro ainda é o candidato com maior rejeição entre os eleitores, com 53%, ante 51% na semana passada. Lula viu sua rejeição ser reduzida em um ponto, de 39% para 38%.

O Datafolha apontou também que Lula ainda lidera entre mulheres (46% a 29% de Bolsonaro); pessoas que estudaram até o ensino fundamental (54% a 27%); quem recebe até dois salários mínimos (52% a 27%); moradores do Nordeste (59% a 22%); os que se declaram pretos (57% a 23%); e entre os católicos (51% a 28%), além de beneficiários diretos ou indiretos do Auxílio Brasil (57% a 26%) e dos jovens 50% a 28%.

Já Bolsonaro tem melhor desempenho do que Lula entre aqueles que têm renda de 5 a 10 salários mínimos (40% a 35%), eleitores da região Sul (42% a 34%) e entre os evangélicos (49% a 32%).

A avaliação de governo oscilou dentro da margem de erro: 30% avaliam a gestão de Bolsonaro como ótima ou boa (ante 31%) e 44% a consideram ruim ou péssima, ante 42%. A gestão é considerada regular por 25%.

A pesquisa foi realizada de terça a quinta-feira. O Datafolha entrevistou 5.926 pessoas em 300 cidades do país.

(Edição de Pedro Fonseca)