Datafolha: Pela primeira vez, maioria defende impeachment de Bolsonaro

·2 minuto de leitura
  • Pela primeira vez, a maioria dos brasileiros defende a abertura de impeachment de Jair Bolsonaro

  • Segundo pesquisa Datafolha, 54% dos entrevistados são a favor do processo contra o presidente

  • Outros 42% são contrários à abertura do impedimento na Câmara dos Deputados

Segundo pesquisa do Instituto Datafolha divulgada neste sábado (10), pela primeira vez a maioria dos brasileiros defende a abertura do processo de impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Conforme o levantamento, 54% são a favor do processo de impeachment na Câmara dos Deputados. Já 42% são contrários à abertura do processo e 4% não souberam responder. Foram ouvidos de forma presencial 2.074 maiores de 16 anos, em todo o país, nos dias 7 e 8 de julho. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou menos.

O Instituto Datafolha começou a questionar os entrevistados sobre o tema em abril de 2020. Na última pesquisa, feita em 11 e 12 de maio, os pró-impedimento eram 49%, mas estavam empatados tecnicamente com os contrários à iniciativa, que chegavam a 46%. Na ocasião, 4% não sabiam.

Na semana passada, pesquisa Datafolha mostrou que a reprovação ao governo Bolsonaro chegou a 51%, a pior marca desde o início do mandato, em janeiro de 2019. Eram 45% no levantamento anterior, em maio. Outros 24% aprovam a gestão de Bolsonaro, mesmo índice de maio. Os que consideram a gestão regular caíram de 30% em maio para 24% na pesquisa divulgada na última quinta-feira.

No dia 30 de junho, partidos políticos, parlamentares, movimentos sociais e entidades da sociedade civil protocolaram um "superpedido" de impeachment do presidente. O documento foi assinado por 45 pessoas e reúne argumentos apresentados em outros 123 pedidos já apresentados à Câmara. O texto atribui a Bolsonaro 23 crimes de responsabilidade.

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), afirmou que não vai acatar o "superpedido" de impeachment do presidente. "Sem novidade nenhuma (o pedido)", disse ele, ao jornal Valor Econômico.

Lira ainda declarou que um pedido de impeachment precisa de "materialidade: "Aqui seguimos a pauta do Brasil, das reformas e dos avanços. Respeito a manifestação democrática da minoria. Mas um processo de impedimento exige mais que palavras. Exige materialidade".

A decisão para abertura do processo de impeachment é exclusiva do presidente da Câmara. Em seguida, são necessários 342 votos na Câmara - de um total de 513 - para dar prosseguimento ao processo. Atualmente, o presidente conta com apoio do Centrão, que reúne cerca de 200 deputados.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos