Datas-chave do programa de mísseis da Coreia do Norte

(Arquivo) A Coreia do Norte realizou nesta terça-feira o disparo de um míssil balístico que sobrevoou o Japão, em mais um episódio de sua longa lista de testes vinculados ao programa armamentista desenvolvido há várias décadas

A Coreia do Norte realizou um novo disparo de míssil neste domingo, no âmbito da aceleração de seu programa balístico, vinculado ao desenvolvimento da bomba atômica.

Cronologia do programa balístico da Coreia do Norte:

-Final de 1970: Coreia do Norte começa a trabalhar em uma versão do míssil soviético Scud-B (de um alcance de 300 km). Testado em 1984.

-1987-1992: desenvolvimento das versões do Scud-C (500 km), do Rodong-1 (1.300 km), do Taepodong-1 (2.500 km), do Musudan-1 (3.000 km) e do Taepodong-2 (6.700 km).

-Agosto de 1998: teste de lançamento do Taepodong-1 acima do Japão, com o objetivo de colocar um satélite em órbita. A operação fracassa.

-Setembro de 1999: adiamento dos testes de mísseis de longo alcance devido à melhora das relações com Washington.

-12 de julho de 2000: fracasso das negociações com os Estados Unidos sobre os mísseis, depois que a Coreia do Norte exigiu um bilhão de dólares americanos para paralisar as exportações destes dois aparatos.

-3 de março de 2005: fim da prorrogação dos testes de mísseis de longo alcance, alegando uma política "hostil" por parte da administração Bush.

- Julho de 2006: testes de sete mísseis de longo alcance. Um deles (Taepdong-2) explode em pleno voo depois de 40 segundos. O Conselho de Segurança adota a resolução 1695, que pede o fim de qualquer atividade de mísseis balísticos.

- Outubro de 2006: primeiro teste nuclear subterrâneo. Resolução 1718 do Conselho de Segurança, que pede o fim dos testes balísticos e nucleares.

- Abril de 2009: lançamento de um foguete de longo alcance que sobrevoa o Japão e cai no Pacífico, durante uma tentativa, segundo a Coreia do Norte, de colocar um satélite em órbita. Para Estados Unidos, Japão e Coreia do Sul, trata-se de um teste do Taepodong-2. O Conselho de Segurança condena a operação e reforça as sanções. A Coreia do Norte abandona as negociações sobre seu programa nuclear.

- Maio e junho de 2009: segundo teste nuclear subterrâneo, muito mais potente. Resolução 1874 do Conselho de Segurança, que impõe sanções suplementares.

-18 de fevereiro de 2001: imagens de satélites mostram que a Coreia do Norte terminou de construir uma torre de lançamento em sua base da costa oeste, Tongchang-ri.

-13 de abril de 2012: lançamento de foguete a partir da base de Tongchang-ri. O lançador se desintegra minutos depois da decolagem.

-12 de dezembro de 2012: êxito no lançamento de um foguete para oficialmente colocar em órbita um satélite civil de observação terrestre. É considerado um novo teste de míssil balístico.

-12 de fevereiro de 2013: terceiro teste nuclear subterrâneo.

-6 de janeiro de 2016: quarto teste nuclear subterrâneo. A Coreia do Norte afirma ter testado uma bomba de hidrogênio. Este fato é colocado em dúvida pelos especialistas.

-2 de março de 2016: o Conselho de Segurança impõe à Coreia do Norte as sanções mais duras até a data.

-9 de março de 2016: o dirigente norte-coreano, Kim Jong-Un, afirma que Pyongyang conseguiu miniaturizar uma ogiva termonuclear.

-8 de julho de 2016: Estados Unidos e Coreia do Sul anunciam a mobilização na Coreia do Sul do escudo antimísseis americano THAAD.

-3 de agosto de 2016: pela primeira vez, disparo de um míssil balístico em águas japonesas.

-24 de agosto de 2016: êxito no lançamento de míssil a partir de um submarino.

-5 de setembro de 2016: lançamento de três mísseis balísticos durante a reunião dos líderes do G20 na China.

-9 de setembro de 2016: quinto teste nuclear.

-1 de dezembro de 2016: a ONU endurece as sanções e limita as exportações norte-coreanas de carvão à China.

-12 de fevereiro de 2017: teste de um novo míssil balístico, que percorre 500 km antes de cair no Mar do Japão.