Datas importantes na vida de Lula

Luiz Inácio Lula da Silva (C) no dia da posse de seu primeiro mandato como presidente, em 1 de janeiro de 2003

A vida de Luiz Inácio Lula da Silva é marcada por reviravoltas imprevisíveis. Seguem abaixo as principais datas que marcaram a sua vida:

- 27 de outubro de 1945: nasce em uma família de agricultores em Caetés, interior de Pernambuco. Assim como outros retirantes, sua família saiu dali quando ele tinha 7 anos, rumo a São Paulo, para fugir da fome.

- 1975: torna-se presidente do sindicato dos metalúrgicos, representando colegas da profissão que exerce desde os 14 anos. Em 1978-80, lidera as grandes greves na região industrial paulista, em plena ditadura (1964-1985).

- 1980: cofundador do Partido dos Trabalhadores (PT). Participa, em 1983, da criação da Central Única dos Trabalhadores (CUT).

- 1º janeiro de 2003: torna-se o primeiro presidente brasileiro de origem operária. É reeleito em 2006. Graças a seus programas sociais, 29 milhões de brasileiros saem da miséria, apesar de o país permanecer muito desigual.

- 2005: decapita a direção do PT depois dos escândalos de corrupção do 'Mensalão'.

- 4 de março de 2016: o juiz federal de primeira instância Sérgio Moro, de Curitiba, determina levar Lula a prestar depoimento em condução coercitiva, no âmbito das investigações da Operação Lava Jato, sobre um esquema de corrupção montado na Petrobras.

- 17 de março de 2016: o juiz federal do Distrito Federal Itagiba Catta Preta Neto suspende a nomeação de Lula como ministro da Casa Civil de Dilma Rousseff, ainda na Presidência, sob o pretexto de que sua entrada no governo só visava a lhe assegurar o foro privilegiado, protegendo-o da Justiça comum.

- 12 de julho de 2017: Moro condena Lula a nove anos e meio de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro por ter se beneficiado de um apartamento tríplex no Guarujá, litoral de São Paulo, oferecido pela empreiteira OAS, investigada na Lava Jato, em troca de mediação para obter contratos na Petrobras.

- Janeiro de 2018: o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), de segunda instância, confirma a sentença e eleva a pena a 12 anos e um mês de reclusão.

- 7 de abril de 2018: Dois dias depois de Moro ordenar a sua prisão, Lula se entrega à Polícia Federal. Apesar disso, o PT o inscreve em julho como candidato às eleições de outubro.

- 31 de agosto 2018: O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) invalida sua candidatura. Em 11 de setembro, é substituído por Fernando Haddad como candidato do PT.

- 6 de fevereiro: a juíza Gabriela Hardt - substituta de Moro, nomeado ministro da Justiça e de Segurança Pública de Jair Bolsonaro - condena Lula a 12 anos e 11 meses de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro, considerando que se beneficiou de reformas em um sítio em Atibaia, em São Paulo, oferecida pela empreiteira OAS em troca de contratos com a Petrobras.

- 23 de abril: ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ) votam a favor de uma redução de pena de Lula para 8 anos e 10 meses no caso do tríplex do Guarujá.