David Junior se inspirou em Kobe Bryant para viver neurocirurgião em 'Sob pressão': 'Tem a mentalidade dele'

·3 minuto de leitura

Mauro (David Junior) mal chegou em “Sob pressão” e já tem uma grande responsabilidade em mãos. Por decisão do diretor Décio (Bruno Garcia), o neurocirurgião assume, no segundo episódio da quarta temporada, exibido nesta quinta-feira depois de “Império”, a chefia da emergência do hospital fictício Edith de Magalhães quando Charles (Pablo Sanábio) se mostra inapto para a função.

Leia mais:

— Empatia vai ser a palavra do Mauro como líder. Cheguei nela depois de observar o Julio (Andrade) escrevendo referências para o Evandro na parede. Resolvi fazer o mesmo no meu quarto e, assim, concluí que a empatia é o carro-chefe do Mauro — resume o artista, que entrou para o elenco no especial sobre a Covid-19, realizado em outubro do ano passado, e ficou de vez.

Quando reflete sobre a razão para Mauro ser o escolhido para liderar o pronto-socorro, que não atende casos de coronavírus, David volta ao passado que construiu para o personagem.

— Para mim a liderança vem de berço. Na minha construção do personagem, imaginei Mauro como o irmão mais velho de uma mãe de sete filhos que foi abandonada pelo marido e, sem opções, ele teve que ajudar em casa desde muito cedo. Porque essa foi uma realidade vivida na minha família também, uma geração antes de mim — detalha o ator, que ainda se inspirou em uma lenda do basquete americano: — Mauro tem uma mentalidade inspirada no Kobe Bryant, buscando se desafiar e melhorar a cada jogada, a cada atendimento ou cirurgia.

Leia também:

Além de se espelhar na família e no atleta morto em 2020, David conversou com Ivan Sant’Ana, chefe do Hospital Miguel Couto, na Zona Sul do Rio, apresentado a ele pelo médico Márcio Maranhão, consultor da série. O profissional é o único neurocirurgião negro que o ator conhece.

— Eu tenho acesso a pouquíssimos médicos negros. De neurocirurgião, só conheço o Dr. Ivan. Como paciente, lembro de ter tido contato com apenas um médico negro em toda minha vida e, quando ele chegou para me tratar, achei que fosse enfermeiro. É absurdo eu, como pessoa negra, não conseguir codificar que outro pode ser um médico. Para quem é periférico, é uma profissão inatingível — desabafa ele.

E ainda:

E ao contrário de Julio Andrade, que já admitiu passar mal quando vê sangue, David não se incomoda com situações comuns ao universo da série, que tem quinta temporada garantida no Globoplay.

— Meus pais diziam que eu seria veterinário porque, quando era criança, cuidava dos meus cachorros e limpava as feridas deles — conta.

Família não planejada na trama

Depois de ver seu personagem quase morrer de Covid-19 no especial do ano passado, Julio Andrade afirma que Evandro está “mais calmo” na nova temporada. A tranquilidade, porém, não deve durar, já que o médico descobre que pode ser pai. A possibilidade abala a relação com Carolina (Marjorie Estiano).

Leia mais:

— Com essa questão da maternidade surgindo repentinamente, ela precisa compreender o lugar que ocupa na relação — descreve a atriz, que adorou a presença dos gêmeos que dão vida a Francisco nas gravações: — Quando bota criança no estúdio é um sucesso. Todo mundo vai amar.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos