Davos 2023: bombardeios russos colocam infraestrutura de Kiev sob pressão crítica, diz prefeito

Prefeito de Kiev, Vitali Klitschko

Por John Irish

DAVOS, Suíça (Reuters) - A infraestrutura de Kiev pode entrar em colapso a qualquer instante, já que os ataques esporádicos de mísseis da Rússia, juntamente com as temperaturas congelantes do inverno, colocam as autoridades locais sob crescente pressão, disse o prefeito da capital ucraniana nesta segunda-feira.

O prefeito Vitali Klitschko e seu irmão Wladimir disseram à Reuters que os aliados ocidentais da Ucrânia precisam acelerar as entregas de sistemas de defesa aérea capazes de derrubar mísseis russos.

Kiev acusou Moscou de alvejar indiscriminadamente civis e instalações importantes de infraestrutura, ameaçando o fornecimento de eletricidade, água encanada e aquecimento central no inverno.

"Não falamos sobre o colapso, mas pode acontecer... a qualquer segundo (porque) os foguetes russos podem destruir nossa infraestrutura crítica em Kiev", disse Vitali, acrescentando que atualmente há um déficit de 30% em energia na capital.

"Está muito frio na Ucrânia agora, então viver sem eletricidade e aquecimento é quase impossível. A situação é crítica. Estamos lutando para sobreviver", disse ele nos bastidores da reunião anual do Fórum Econômico Mundial em Davos.

Os ex-campeões mundiais de boxe peso-pesado Vitali e Wladimir fazem parte de uma delegação ucraniana empresarial e política de alto nível que participa da cúpula do fórum.

"É importante não hesitar em nos dar as armas de que tanto precisamos, mas entregá-las quanto mais cedo melhor, caso contrário continuaremos a perder nossa infraestrutura e, mais importante, nossos melhores homens", disse Wladimir, acrescentando que é esperada uma escalada na ofensiva no norte da Ucrânia, vinda de Belarus.

(Reportagem de John Irish e Mark John; reportagem adicional Ardee Napolitano)