Davos 2023: Primeira-dama da Ucrânia entrega carta de Zelenskiy para a China

Primeira-dama da Ucrânia, Olena Zelenska, discursa no Fórum Econômico Mundial, em Davos

DAVOS, Suíça (Reuters) - A primeira-dama da Ucrânia disse ao Fórum Econômico Mundial nesta terça-feira que entregaria uma carta à delegação da China apresentando as propostas do presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, para encerrar a guerra da Rússia contra seu país.

A China, que assim como a Rússia é um membro permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas, é um parceiro importante para Moscou e se recusou a condenar a invasão da Ucrânia pela Rússia.

Em um discurso pedindo aos delegados que façam mais para ajudar a acabar com a guerra, Olena Zelenska disse que planejava entregar a carta ao vice-primeiro-ministro chinês Liu He --que falou depois dela-- para repassá-la ao presidente Xi Jinping.

Ela disse que também tinha cartas para a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, e para o presidente da Suíça, Alain Berset.

"Hoje darei aos colegas participantes desta parte (do fórum) 'cartas-fórmula' do presidente da Ucrânia", disse ela em ucraniano.

Instando seu público na cidade suíça de Davos a fazer maior uso de sua influência para acabar com os combates, ela disse que a cooperação global é necessária para evitar o colapso do modo de vida ao qual as pessoas em todo o mundo estão acostumadas.

"A unidade é o que traz a paz de volta", disse ela.

Zelenska disse que a guerra teve ramificações globais que podem piorar se a Ucrânia for derrotada.

"Como o mundo espera alcançar a neutralidade climática, se não pode nem mesmo impedir o incêndio de cidades ucranianas inteiras? Isso é o que a Rússia faz com sua artilharia, mísseis, drones iranianos", disse.

(Reportagem de Max Hunder)