Davos impulsiona fundo de US$18 bi para combater Aids, tuberculose e malária

Seringas em farmácia em Schwenksville, no Estado norte-americano da Pensilvânia

Por Leela de Kretser

DAVOS, Suíça (Reuters) - Um fundo global de saúde levantou um terço dos 18 bilhões de dólares que diz serem necessários para reverter os retrocessos causados ​​pela pandemia de coronavírus e combater Aids, malária e tuberculose.

O Fundo Global de Combate à Aids, Tuberculose e Malária anunciou sua primeira promessa do setor privado durante o Fórum Econômico Mundial, em Davos, na terça-feira.

A promessa de 10 milhões de dólares da Comic Relief U.S. desbloqueia um compromisso correspondente de 20 milhões de dólares da Fundação Bill & Melinda Gates.

O fundo estabeleceu uma meta de arrecadação de 18 bilhões de dólares para 2024-2026. O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, que sediará uma próxima conferência, já sinalizou um compromisso de 6 bilhões de dólares.

As interrupções nos cuidados de saúde causadas pela Covid-19 em todo o mundo causaram reversões nos testes e no tratamento das três doenças mortais, disse o diretor executivo, Peter Sands.

"A realidade é que a necessidade de combater essas doenças não está desaparecendo. Ficou pior", afirmou Sands à Reuters.

O ambiente dos doadores também mudou drasticamente desde 2019, quando o fundo atingiu uma meta de 14 bilhões de dólares.

Sands disse que a pandemia, a guerra na Ucrânia e os crescentes ventos contrários econômicos estão afetando o investimento. Os governos estão em transição quando se trata de alocações orçamentárias para a Covid-19 e alguns também estão agora comprometendo dinheiro para ajudar a Ucrânia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos