Dayane Mello, brasileira no 'Big Brother' Itália, está no paredão e brasileiros fazem mutirão: 'Sem dormir'

Extra
·3 minuto de leitura

Dayane Mello, brasileira participante do "Grande Fratello Vip", o "Big Brother" da Itália, está no paredão e o resultado será dado nesta segunda, dia 11. Direta, a catarinense é alvo de desafetos na casa, mas ganhou repercussão na terra natal ao sofrer xenofobia e críticas machistas. Agora, brasileiros fazem mutirão de votos na Internet para salvá-la de mais uma eliminação.

— Eu me senti atacada também pelos comentários machistas que ela sofreu. Isso despertou em mim um senso de justiça e uma vontade de acolhê-la. Eu me identifiquei com Dayane. É uma mulher que diz o que pensa. Me sensibilizei com sua história — diz Vanessa Tomaz, advogada de 38 anos e moradora de Campo Grade (MS).

Para votar, brasileiros têm compartilhado nas redes sociais contas do site oficial italiano. As votações estão virando a madrugada.

— Eu estou nessa com a Dayane. Parece que não estou animada com outra coisa. Estou focada em continuar com ela e torná-la campeã. Quando vi já estava envolvida, 24h, sem dormir. É uma loucura. Como cheguei nesse nível? (risos) Parece que foi tudo de uma vez. As críticas que a modelo recebeu me geraram uma sensação de impotência. Senti que precisava ajudá-la — diz Stéfani Araújo, de 21 anos, de Uraí, interior do Paraná.

Desde que o caso ganhou repercussão, outros fãs se sensibilizaram com a história e aderiram a corrente de votos. Stéfani já fazia parte, desde o último trimestre do ano passado de uma central de fãs.

— São 22 brasileiras. Nos unimos porque sabíamos que a brasileira precisava de ajuda e a gente tinha que mobilizar mais gente. Com os posts no Twitter, sabíamos que conseguiríamos ajuda. Mas nunca imaginei que teríamos tanta repercussão, como as reportagens na mídia.

Passou um avião e nele estava escrito...

O carinho dos brasileiros com Dayane chegou até ela. E de avião! O “Grande Fratello VIP” permite que os participantes tenham contato com o mundo externo, e é comum acontecerem ligações telefônicas, SMS ou faixas trazendo recados pelos céus.

— A primeira mensagem de avião que mandamos estava assinado por fãs do Brasil e da Itália. Dayane não entendeu. A partir do segundo, acho que ela passou a desconfiar que há brasileiros que a conhecem, mas não deve ter ideia de que estamos votando — diz Stéfani.

Vanessa também contribuiu.

— Cada avião custa 1.300 euros. Já contribui com alguns, em torno de 40 euros (R$ 266,80). Mas nosso dinheiro é desvalorizado. É uma contribuição simbólica. Há fãs italianos que também estão ajudando.

Quem é Dayane Mello

Dayane tem 31 anos e vem de uma família humilde. Nasceu na periferia, passou dificuldades financeiras, viu a mãe se prostituir e abandoná-la. Aos 16 anos, foi descoberta para trabalhar como modelo internacional. Uma nova virada na carreira ocorreu quando ela se mudou, em 2014, para Milão, aonde foi fazer uma campanha. Lá, a bela conheceu o modelo Stefano Sala, com quem teve uma filha, Sofia. Sua desenvoltura chamou atenção da agente italiana Paola Benegas, que decidiu transformá-la numa estrela.

— Ela é linda, sexy, tem carisma para a TV e personalidade. É direta, até sem filtro. Por isso, funciona tão bem. Vive um reality show como tem que ser: sendo ela mesma — defende Paola.

Mas esse jeito direto dela fez com que surgissem torcidas contrárias também. Italianos até “ameaçaram” interferir no “BBB 21” como uma forma de revanche, já que ela retornou de vários paredões e segue no jogo. Vídeos contra a modelo, atribuindo a ela frases gordofóbicas, têm sido compartilhados.

— Um dos problemas de Dayane, que a impede de ter ainda mais sucesso, é a dificuldade com o idioma. Haters se aproveitam disso para tirar frases de contexto. Mas estou surpresa de ver como o Brasil a abraçou. Não esperava e, certamente, ela também não — celebra a agente.