De Beyoncé a Lady Gaga: veja os shows marcantes do Super Bowl

Lady Gaga chegou "voando" para sua apresentação em 2017 (TIMOTHY A. CLARY/AFP via Getty Images)

O Super Bowl é um dos eventos mais esperados do ano pelos norte-americanos fãs dos jogos da Liga Nacional de Futebol Americano (NFL). E, como todos os anos, os intervalos são um show à parte, já que muitos artistas fazem apresentações memoráveis desde 1991, quando cantores conhecidos começaram a fazer shows no intervalo do jogo.

Já está seguindo o Yahoo Esportes no Instagram? Clique aqui! 

Leia também

Separamos uma lista com alguns dos shows mais marcantes do Super Bowl para você relembrar:

Michael Jackson mudou para sempre o intervalo do Super Bowl

Graças à apresentação do Rei do Pop no Super Bowl de 1993, os shows do intervalo se tornaram o que são hoje. O cantor apresentou clássicos como ‘Billie Jean’, ‘Black or White’ e foi após esse show, que ainda mais artistas foram recrutados para fazer parte do chamado Halftime Show. A apresentação contou com dublês, pirotecnia e até a participação do público das arquibancadas, que levantaram pequenos cartazes para formar o desenho de crianças de diversas nacionalidades, em uma mensagem de união aos povos ao som de ‘We Are the World’.

Justin Timberlake e os polêmicos seios de Janet Jackson

Esse é um dos shows mais polêmicos da história do Super Bowl: na apresentação de 2004, Justin Timberlake estava dançando com Janet Jackson quando o cantor puxou um dos lados do top da cantora e a deixa com o seio de fora. O show foi tão polêmico que artistas pop foram impedidos de se apresentar durante os anos seguintes, tendo apenas shows de rock no evento por um bom tempo. O cantor teve de pedir desculpas publicamente pelo ocorrido, a CBS (a emissora que transmite os jogos pela TV) foi multada pela Federal Communcations Commission (FCC) em US$ 550 mil.

Lady Gaga fez o show mais visto até agora

O show de Lady Gaga em 2017, foi o mais assistido da história do Super Bowl, segundo a própria NFL. Foram cerca de 150 milhões de espectadores - contabilizando os números da televisão e da Internet. Ao vivo, foram 117,5 milhões de pessoas. A cantora apresentou seus hits mais famosos como 'Poker Face', 'Born This Way', 'Just Dance' e 'Bad Romance'. A estrela entrou no estádio do New England Patriots presa a cabos de aço. 

Beyoncé fez um show de protesto contra o racismo

Em 2013, a atração principal da noite era a banda Coldplay, mas quem chamou mais atenção foi Beyoncé. A apresentação da cantora aconteceu durante o 50º aniversário do Super Bowl e Beyoncé levou ao palco referências do movimento antirracista da década de 1960, nos Estados Unidos - a cantora e suas dançarinas usavam um uniforme do "Panteras Negras". A apresentação foi uma forma de protesto: na época, o negro Mario Woods tinha sido alvejado com 20 tiros pela polícia de São Francisco, porque ele correspondia ao perfil de um criminoso que estava sendo procurado.

Tudo junto e misturado

Geralmente, os artistas apresentam cerca de cinco músicas durante o tempo do intervalo. Mas, em 2001, o Super Bowl contou com 5 artistas diferentes. O palco recebeu N'Sync e Aerosmith, que eram as atrações principais, que se intercalaram. Na última canção, ‘Walk This Way', eles ainda receberam no palco Britney Spears, Mary J. Blige, finalizando com o rapper Nelly. E tudo isso em 10 minutos!

U2 homenageou as vítimas do 11 de setembro

A banda liderada por Bono Vox teve uma apresentação bastante marcante também. Isso porque o U2 realizou seu show em 2002, apenas quatro meses depois do ataque às Torres Gêmeas. A ferida ainda estava aberta no país e a banda não poderia ter sido mais sensível: depois de cantar 'Where The Streets Have No Name', projetaram no telão com o nome das vítimas do atentado.