De Férias com o Ex: por que colocar Flavia Caroline com um ex abusivo?

Marcela De Mingo
·4 minuto de leitura
Flavia Caroline precisou lidar, na TV, com uma relação tóxica (Foto: Instagram)
Flavia Caroline precisou lidar, na TV, com uma relação tóxica (Foto: Instagram)

Quando um relacionamento amoroso acaba, a relação entre as duas partes continua? Depende, claro, de muitos fatores. Mas é complicado pensar que um possível encontro seja totalmente confortável se o término foi complexo e doloroso. Principalmente se esse encontro acontece em um programa de televisão como o De Férias com o Ex, da MTV.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook e Twitter, e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário

Na atual temporada da atração, Flavia Caroline foi colocada em uma situação delicada ao ver o ex-namorado, Victor Padula, passar a fazer parte do elenco. Ainda mais porque, àquela altura do campeonato, ela já havia transado com outro participante da casa, Matheus Crivella, o Novinho.

Em uma das maiores brigas que rolaram na atração até agora, Victor joga uma indireta sobre a relação de Flavia e Matheus e o que era uma festa virou um caos, com comentários ofensivos, machistas e muito desentendimento.

Lidar com os sentimentos de alguém já é complicado quando não existem câmeras por todos os lados e as situações não são tão extremas como as apresentadas no programa. Porém, nesse contexto, parece que tudo ganha um tamanho maior.

Leia também

A questão, no entanto, passa por dois pontos principais. Primeiro, a forma como Victor tira satisfação sobre outro homem ter "comido" a sua ex, como se ele tivesse algum nível de posse sobre ela. Isso é bastante comum quando se fala em masculinidade tóxica, já que representa a ideia do homem conquistador que tem domínio sobre as mulheres e deve ser o alpha em qualquer ocasião.

Essa noção, aliás, não é benéfica para ninguém. A mulher, segundo ela, é vista como um objeto de posse e tratada de um lugar de desumanização (pense no caso do "Rei do Instagram"). Já o homem precisa sustentar uma postura de macho alpha conquistador, sob uma pressão constate para ser o "pegador" da área - e não pense que isso é positivo. Pelo contrário, é o que gera tanto preconceito com homens que têm um lado delicado aflorado e gera tanta violência contra homens gays.

O segundo é expor alguém, uma mulher, a reencontrar um ex-namorado que gerou tantos conflitos de autoestima e identidade como é o caso de Victor. Flavia chegou a comentar no programa como precisou de ajuda profissional para se recuperar emocionalmente do término - de acordo com ela, o último ano de namoro foi terrível, e os dois se tratavam de forma desrespeitosa e com bastante raiva.

Ela não chega a dizer que o que viveu com ele foi um relacionamento abusivo. E esse é um tema complexo de se abordar mesmo, já que são muitas facetas que delimitam o abuso e nem sempre existe agressão física. O abuso moral, a humilhação, o controle e a manipulação de uma das partes sobre a outra também caracterizam uma relação de abuso.

Qualquer que seja o caso, fato é que ninguém precisa passar por algo desse tipo. Relações começam e terminam por muitos motivos, e as pessoas são livres para viverem a vida que sentem ser melhor para si mesmas. A premissa do programa é, mesmo, colocar ex-namorados em um mesmo ambiente. Porém, em um caso como esse, em que a relação deixou tantas feridas abertas e, logo no primeiro dia, já causou tantos desconfortos, é o mínimo dizer que foi uma ação desnecessária.

A autoestima feminina é um assunto constante porque ela sempre foi diminuída de formas diferentes. Fosse pela objetificação do seu corpo, fosse pela forma como é tratada, historicamente, pelo sexo oposto, seja porque, desde o começo, teve seus direitos limitados por conta do gênero. Refazer essa autoimagem, também tão pressurizada e padronizada por campanhas publicitárias e capas de revista, é um trabalho longo, que exige paciência e, principalmente, coragem. Não é do direito de ninguém abalar um trabalho tão árduo desse jeito.