De Lula a PSOL: Confira como a esquerda reagiu ao vídeo de Alvim

Roberto Alvim foi demitido por Bolsonaro após a repercussão do vídeo. (Foto: Reprodução/Twitter)

Políticos, lideranças e até os perfis dos próprios partidos políticos de esquerda se manifestaram em repúdio ao vídeo no qual Roberto Alvim, agora ex-secretário de Cultura do Governo Jair Bolsonaro, parafraseia Joseph Goebbels, ministro da Propaganda nazista do regime de Adolf Hitler.

A repercussão do vídeo e a similaridade das declarações nas redes sociais foi tamanha que o próprio presidente decidiu exonerar o secretário após a polêmica.

Leia mais sobre o vídeo citando nazista:

Entre as lideranças de esquerda, as manifestações de repúdio variaram desde textos nas redes sociais, compartilhamento de charges com referências nazistas até um vídeo no qual o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva diz que o governo Bolsonaro quer destruir a Cultura “como a Alemanha nazista”.

Confira como a esquerda reagiu ao vídeo e à demissão de Alvim:

  • Guilherme Boulos

  • Fernando Haddad

  • Lula

  • PT

  • Manuela D’Ávila

  • Flávio Dino

  • Humberto Costa

  • Orlando Silva

  • PC do B

  • Sâmia Bonfim

  • PSOL


Após a indignação Alvim foi às redes sociais se justificar. Ele classificou as semelhanças de seu discurso com o de Goebbels como uma "coincidência retórica" mas defendeu que "a frase em si é perfeita"

A FRASE DE ALVIM:

"A arte brasileira da próxima década será heroica e será nacional. Será dotada de grande capacidade de envolvimento emocional e será igualmente imperativa, posto que profundamente vinculada às aspirações urgentes de nosso povo, ou então não será nada", afirmou Alvim no vídeo postado nas redes sociais.

A FRASE DE GOEBBELS:

"A arte alemã da próxima década será heroica, será ferreamente romântica, será objetiva e livre de sentimentalismo, será nacional com grande páthos e igualmente imperativa e vinculante, ou então não será nada", disse o ministro de cultura e comunicação de Hitler em um pronunciamento para diretores de teatro, segundo o livro "Goebbels: a Biography", de Peter Longerich.