De onde veio o apelido Pelé?

Quando criança Edson era chamado de "Dico" pela família e ganhou apelido famoso por homenagear goleiro

Pelé ganhou o apelido na infância e demorou a aceitar o nome que o eternizou pelos quatro cantos do mundo. Foto: John Pratt/Keystone/Getty Images
Pelé ganhou o apelido na infância e demorou a aceitar o nome que o eternizou pelos quatro cantos do mundo. Foto: John Pratt/Keystone/Getty Images

Em qualquer lugar do mundo, a palavra Pelé remete ao melhor jogador de tantos os tempos. O termo que virou adjetivo daquele que é o melhor naquilo que faz teve origem inusitada: um problema de dicção e a figura de um ídolo da infância, o goleiro José Lino da Conceição Faustino "Bilé", ajudaram na escolha do nome mais conhecido na história do futebol.

"Bilé" foi goleiro do Vasco de São Lourenço, modesto time mineiro, que também contava com o pai do Rei, João Ramos do Nascimento, o "Dondinho".

Leia também:

Quando criança, Edson, que na época era chamado de "Dico" pela família, gostava de jogar como goleiro e, toda vez que fazia uma defesa, gritava para si mesmo "Segura, Bilé!", inspirado no companheiro do pai.

No entanto, devido à pouca idade, pois tinha pouco mais de quatro anos, ainda não conseguia pronunciar corretamente o nome "Bilé", e os amigos com quem brincava nas ruas de Bauru, interior de São Paulo, acreditavam que ele disse algo parecido com "Pelé".

O apelido pegou entre os colegas de futebol, que passaram a chamá-lo de "Pelé", algo que a princípio irritou profundamente o homem que mais tarde se tornaria o melhor jogador de todos os tempos.

O jovem Edson não teve escolha a não ser aceitar o apelido com o qual ficaria conhecido em todo o mundo e que se tornou uma marca global que perdura até hoje.

Foi na cidade de Bauru que Pelé deu seus primeiros passos no mundo do futebol. Das ruas passou a defender as cores de vários times amadores daquela cidade paulista, até ingressar nas fileiras do Bauru Atlético Clube.

Lá foi treinado pelo ex-jogador da Seleção Brasileira Waldemar de Brito, que entrou para a história como o "descobridor de Pelé". Rapidamente Waldemar percebeu que "Pelé" tinha mais voos e o levou para o Santos.

Em 1956, o jovem avançado iniciou a sua carreira no clube que o levaria ao estrelato mundial e onde completaria a maior parte da sua carreira desportiva.

Com a camisa do Santos Pelé disputou 1.116 partidas e marcou 1.091 gols, segundo as contas do time paulista, de onde sairia em 1974 para rumar ao New York Cosmos, onde se aposentaria três anos depois.

Foi o único jogador de futebol do planeta com três títulos mundiais (Suécia 1958, Chile 1962 e México 1970) e morreu na última quinta-feira (29) devido a complicações de um câncer de cólon diagnosticado em setembro de 2021.