De panicat a “RP Baianinha”: Mari Gonzalez furou a bolha e virou referência em lifestyle

·6 min de leitura
Mari Gonzalez furou a bolha e virou referência em lifestyle (Foto: Reprodução/ Instagram @MariGonzalez)
Mari Gonzalez furou a bolha e virou referência em lifestyle (Foto: Reprodução/ Instagram @MariGonzalez)

Aos 27 anos, Mari Gonzalez é conhecida por unir todas as tribos. No currículo, ela acumula diversos cargos, como ex-panicat e ex-BBB. Além de sua fama na internet, protagonizada por diversos memes, a baiana é influencer, apresentadora do “Música Boa” e referência em lifestyle. Com essa mudança de imagem e estilo, quem conheceu ela na Band, em 2014, e não a acompanha desde então, mal imagina que Mari é personalidade na moda, beleza e no universo fitness.

“A gente está sempre em constante mudança, né? Até em relação a gosto, por exemplo, de comida, estilo, a gente está sempre mudando. Isso aconteceu muito naturalmente. Quando eu fiz o Big Brother, já saí com a cabeça diferente, muita coisa mudou e aquela experiência que a gente vive é muito doida, mexe muito com o que a gente acredita, com o que a gente pensa. Quando saí, realmente uma chave minha que mudou. Eu tinha três milhões de seguidores, aí eu fui pra dez milhões, a minha responsabilidade mais que duplicou. Eu comecei a entender mais, me aprofundar mais em coisas que não tinha me aprofundado antes”, conta ela, que também criou recentemente uma linha de acessórios.

Agora com looks arrojados e até conceituais, a influencer anda recebendo aquela ajudinha do stylist Fernando Batista. Além do mais, ela formou um ciclo de amizade com as principais figuras do momento como Marina Sena, Gloria Groove, Duda Beat, entre outras. No entanto, Mari ainda mantém sua “turma” antiga com Mari Saad e Bianca Andrade. Afinal de contas, sua essência segue a mesma, mas com uma roupagem mais elaborada. “Estou realmente mudando meus gostos. Acho que o que causa isso na gente é o nosso dia a dia, as pessoas que a gente anda, o que a gente lê, o que a gente assiste, isso tudo vai fazendo com que a gente vai mudando e se identificando com coisas novas. As pessoas se surpreendem comigo”, diz a ex-BBB, que também é embaixadora da Australian Gold.

Em constante crescimento

Falando sobre se surpreender, recentemente, ela brincou em sua rede social dizendo que ia parar de ser tão brincalhona para ser levada a sério, o que não agradou muito seus admiradores. “Falo as coisas muito espontaneamente. Normalmente, eu nem penso muito e saio falando algo que para mim é sério e as pessoas dão risada. Nesses últimos tempos, estava refletindo: ‘Será que eu tenho que deixar de ser um pouco engraçada pra levado a sério?’ Acabei compartilhando esse pensamento e a galera reagiu pedindo “não, pelo amor de Deus. Eu te amo por isso”, conta.

“Não dá pra agradar todo mundo. É uma coisa que estou até aprendendo assim a lidar, mas eu não quero deixar de ser engraçada. Eu falei, foi um pensamento que compartilhei, porque a gente precisa ser levada a sério também. Não é porque a gente é engraçada, que não tem momentos de seriedade, de falar coisas importantes”, destaca Mari.

Big Brother Brasil

Mais segura de si e com a certeza que não dá para satisfazer todo mundo, a baiana entrega que na época que entrou mais vigiada do Brasil tinha seus receios. “Eu trabalhei na TV, mas sai. Com isso, comecei a minha carreira de criadora de conteúdo, influencer. Neste universo, eu estava bem, criando meu estilo, estava crescendo e quando surgiu a oportunidade do BBB, era uma coisa muito nova, nunca tinha existido no programa convidados e inscritos. Com isso, pensei: ‘Qual seria a recepção do público? Será que isso vai ser bom? Será que vai valer a pena fechar meus trabalhos, meus contratos pra poder vive experiência que é muito nova?’”, relembra.

Segundo a influencer, existia um medo, mas não de ser cancelada. “Na verdade, eu tinha medo mesmo de estar entrando em uma oportunidade e não ser melhor do que eu tava vivendo na internet. Graças a Deus, deu tudo assim. É claro que a gente sempre pensa que podia ter feito melhor alguma coisa, mas acho que isso que me consola assim. Eu vivi ali. Hoje penso: ‘Poxa, será que eu deveria ter jogado mais? Será que eu deveria ter feito isso’. No meu coração, eu me sinto calma, em paz, porque fui eu, fiz o que tinha que ser feito e saí bem. Não magoei as pessoas, que era uma coisa que me preocupava, graças a Deus eu saí e deu tudo certo”, diz ela, toda orgulhosa.

Nova profissão

Autentica, a baiana virou a amiga que agita o grupo todo, no entanto que ganhou o apelido de ‘RP Baianinha’ em um ciclo de amizade bem selecionado. “Temos um grupo chamado “Gostosas Underground”, que além de Marin [Sena] a e Glória [Groove], está a Duda Beat, o Mateus Carrilho, o Hiran e o Raphael Dumaresq. Acaba que eu que agilizo as coisas, sou a RP (risos)”

A responsabilidade é tão grande que ela apresentou Marina Sena para Glória Groove.”A Marina queria muito conhecer a Glória, que eu já conhecia, e a Glória queria muito conhecer a Marina. Pensei que tinha que resolver esse negócio, fazer acontecer. E aí, eu levei as duas no karaokê e a gente curtiu a noite, se conheceram”, relembra.

Com um olhar apurado, Mari acompanhou o crescimento de Marina assim que seu primeiro álbum solo saiu. “Conheci ela ainda na época do Rosa Neon. Um amigo meu me apresentou um clipe dela e foi amor, eu pirei, amei. Amei a arte, a simplicidade dela, o jeito de falar, é o meio de tudo. Aí começamos a se falar no Instagram e deu match. Parece que a gente se conhece a anos. Nos encontramos e a gente nunca mais se largou. Eu acho que o que tá acontecendo com ela agora é só o começo. Ela vai muito longe”, comemora.

Futuro não tão distante

Pé no chão, a apresentadora almeja com um futuro já em preparação. Um deles é realizar um sonho material. “Tenho um desejo desde pequena, que minha mãe sempre relembra que eu comentava. Quero a minha casa dos sonhos, com a piscina e tudo. Quero ter uma casa pra deixar pros meus filhos aquele legado”, afirma.

Em relação ao sonho de vida pessoal, Mari, que namora Jonas Sulzbach há seis anos, entrega sem muitos rodeios: “Quero casar, ter filhos, quero construir uma família”.

Já no âmbito profissional, ela deseja ter seu programa de TV. “Estou me preparando para isso, estudo muito. Estou muito feliz com ‘Música Boa’, porque é um momento em que estou aprendendo demais, estar junto com a Ivete é uma escola. Todo dia é um aprendizado. Todo dia é uma novidade. Então, se eu puder escolher, quero continuar nesse lado da apresentação”, entrega ela, que virou meme recentemente em sua participação no Prêmio Multishow.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos