Debate na Globo: Veja os 9 principais pontos do último confronto entre Lula e Bolsonaro

O último debate entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o presidente Jair Bolsonaro (PL), realizado pela TV Globo na sexta-feira, foi marcado por trocas de ataques, discussões sobre temas como salário mínimo e aborto, além de momentos que viralizaram nas redes sociais e foram vistos como alívios cômicos no embate ferrenho entre os presidenciáveis.

‘Quem tiver mais votos leva': Bolsonaro diz que respeitará resultado das urnas

Debate na Globo: Lula registra melhor desempenho nas redes, mostra levantamento da Quaest

Veja a seguir os momentos mais marcantes do último confronto entre Lula e Bolsonaro antes da eleição

Salário Mínimo

O primeiro bloco do debate foi dominado por uma discussão sobre o salário mínimo. Este foi um dos poucos momentos em que os candidatos se alongaram sobre um tema concreto, apesar de também terem pipocado ataques como trocas de acusações de “mentiroso”.

Bolsonaro prometeu aumentar o mínimo para R$ 1.400 a partir do ano que vem, a partir da proposta não estar prevista em seu Orçamento para 2023. Lula rebateu dizendo que, em quatro anos, o governo não deu aumento real aos trabalhadores. Em outro momento o petista lembrou que ministro da Economia, Paulo Guedes, confirmou que o salário poderia ser corrigido abaixo da inflação.

— Concedemos reajustes no mínimo igual à inflação. Mas tivemos a pandemia pela frente, uma crise mundial — defendeu-se Bolsonaro.

Lula, por sua vez, insistiu em seu argumento e rebateu.

Malu Gaspar: Debate da Globo: Muito ensaio e pouca mudança são boa notícia para Lula

— A verdade nua e crua é que o salário mínimo dele (Bolsonaro) hoje é menor do que quando ele entrou. Eu aumentei em 74%, ele não aumentou, apenas concedeu a inflação e, em alguns anos, menos que a inflação — afirmou.

'Não quero ficar perto de você'

Livres para circular pelo palco, os candidatos buscaram manter distância entre si. Lula, principalmente, evitou e aproximar de Bolsonaro. Em um momento do debate o atual presidente tentou fazer um provocação se aproximando do petista e disse:

— Fica aqui, rapaz.

Ao que Lula, saindo em direção ao seu púlpito, rebateu:

— Não quero ficar perto de você — disse o petista numa cena que viralizou nas redes sociais.

'Direito de resposta' de Bonner

O mediador do debate, William Bonner, pediu a palavra durante o programa após ter sido citado pelo atual presidente. Bolsonaro

— Ô Lula, você dizer que foi absolvido? Só se foi pelo Bonner, se ele vai repetir aqui que você foi absolvido. Acho que Bonner vai ser indicado para um impossível Governo teu para ser Ministro do Supremo Tribunal Federal — disse o candidato do PL, quando debatia sobre a anulação das sentenças que haviam condenado Lula.

Ao fim do bloco, o jornalista rebateu a fala do presidente e sua reação foi elogiada na internet.

— Eu de fato disse que Lula não deve nada à Justiça, mas como jornalista não digo coisas tiradas da minha cabeça. Digo com base em decisões fundamentadas no Supremo Tribunal Federal — afirmou Bonner.

Viagra

No segundo bloco do debate da TV Globo, os candidatos falavam sobre saúde quando Lula questionou a compra de Viagra por parte do atual governo para as Forças Armadas. O petista se posicionou de frente para o presidente, disse que queria ver sua resposta protagonizando um momento visto como cômico por quem acompanhou o programa.

Bela Megale: Integrantes de campanha de Lula comemoram desempenho e bolsonaristas veem empate

— Sabe o que você poderia explicar ao povo? Por que comprou 35 mil caixas de Viagra para dar para as Forças Armadas? — perguntou Lula.

— Lula, o Viagra é usado para vários tratamentos — responde o chefe do Executivo, questionando em seguida: — Você não usa viagra?

Aborto e pauta de costumes

O tom do debate sobre a pauta de costumes subiu quando o petista lembrou um discurso de quando Bolsonaro ainda era deputado federal e sugeriu a distribuição de "pílula de aborto" para diminuir a taxa de natalidade e combater à desnutrição. O atual chefe do Executivo disse que era um discurso de 30 anos atrás e que teria mudado. Além disso, negou que tivesse sugerido o uso de um "pílula de aborto".

— Não confunda. Negativo. Pílula do dia seguinte. Trinta anos atrás, posso mudar. Você há poucos dias disse que aborto é questão de saúde pública. Você é abortista, Lula, convicto — atacou.

Lula então se defendeu e afirmou que respeita a vida.

— Primeiro, eu sou contra o aborto, e minhas mulheres são contra aborto. Eu respeito a vida, porque tenho cinco filhos, oito netos, e uma bisneta — retrucou.

Troca de farpas

Ao longo de todo o programa Lula e Bolsonaro trocaram ataques, acusações e ironizaram a postura e fala um do outro. Em um momento, o petista sugeriu que o atual presidente estaria perdido no debate.

— Parece que meu adversário está descompensado. Ele é um samba de uma nota só — ironizou Lula.

Já Bolsonaro chamou o petista de "mentiroso" várias vezes e buscou associá-lo à corrupção.

— Você foi descondenado, é chefe de organização criminosa — disse Bolsonaro numa fala que rendeu a Lula um direito de resposta.

Acusações de corrupção

Após ficar acuado em outro debates quando o assunto era corrupção, Lula dessa vez partiu pra cima de Bolsonaro citando suspeitas envolvendo seu governo e sua família.

— Grana no bolso o povo sabe quem levou: o Jair e sua família. A quantidade de imóveis e rachadinha não estão na conta do Lula. Sou o único que tem atestado de idoneidade, fui julgado por um juiz mentiroso, ganhei 26 processos na Justiça Federal, dois na ONU, na Suprema Corte. Se prepara, o povo sabe quem é mentiroso e quem roubou — afirmou Lula.

Bolsonaro retrucou:

— Você foi descondenado por um amigo do Supremo. É um bandido. Cadê (Antonio) Palocci, José Dirceu? Cadê essa turma toda? Estão trabalhando para sua campanha — disparou.

Roberto Jefferson

Após o episódio em que o aliado de Bolsonaro Roberto Jefferson (PTB) foi preso por jogar granadas e atirar em agentes da PF, Lula aproveitou para usar o caso contra seu adversário. Bolsonaro tentou se desvencilhar do aliado empurrando ele para o adversário ao lembrar da época em que o petebista era da base do governo petista.

— Ele acabou de tentar esconder Roberto Jefferson, o pistoleiro, o homem das armas, o homem de confiança que recebeu a PF a tiros — disse Lula.

— Roberto Jefferson é teu amigo, ele pegava grana de você para comprar voto de deputados na Câmara. Eu estava lá, vi a CPI, ele foi o delator, contou tudo — rebateu o candidato do PL.

Ato falho Bolsonaro

No último bloco, quando se despedia dos telespectadores nas considerações finais, Jair Bolsonaro cometeu um erro ao agradecer pelo que ele chamou de "missão de comandar" o Brasil.

— E se essa for a sua vontade, estarei pronto para cumprir mais um mandato de deputado federal — afirmou, antes de rapidamente se corrigir: — Presidente da República.