Deborah Secco: relembre outras apresentadoras que apostaram em looks ousados

A atriz Deborah Secco foi para o centro de uma polêmica nesta segunda-feira ao vestir um look ousado para integrar o programa "Tá na Copa”. A escolha da roupa que deixava sua barriga de fora dividiu opiniões nas redes. “O look é ótimo para um festival de música, não para cobrir um jogo de Copa do Mundo”, disse uma crítica. “Se eu tivesse essa barriga ia assim até para reunião de pais na escola dos meus filhos”, defendeu a atriz Maria Ribeiro.

Deborah, no entanto, não foi a primeira no ambiente jornalístico a optar por roupas ousadas.

Romina Malaspina, modelo e jornalista argentina, gerou polêmica e foi muito criticada ao apresentar um telejornal com um “top” transparente em 2020. Na época, ela publicou uma resposta em sua conta no Twitter. "Todos ficaram chocados ao ver a transparência dos seios cobertos com protetores de mamilo. Deixem de ser pudicos. Enquanto continuarem a ver as mamas como algo 'anormal' vamos continuar regredindo. Evoluam!", disse.

A modelo Sol Perez, também da Argentina, ficou conhecida como “a garota do tempo mais sexy do mundo” em 2018, ao aparecer na TV com roupas justas e curtas e compartilhar cliques sensuais em sua conta no Instagram.

Ao usar um vestido com um decote ousado, a modelo, atriz e apresentadora italiana Barbara Francesca Ovieni também teve seu look comentado e criticado em 2017. Enquanto falava sobre o jogador Cristiano Ronaldo, o decote ficou mais à mostra e o momento viralizou nas redes. Depois do ocorrido, Barbara começou a apostar em decotes mais ousados para o trabalho.

Algumas críticas se dirigiam ao fato de Deborah não ser jornalista. Assim como nos outros três casos relembrados acima, a estrela também é modelo. Um internauta tentou defendê-la apontando para esse fator. “Deborah Secco não é jornalista, é uma atriz [e modelo] e gosta de impor sua personalidade, gostem ou não dela, em tudo que se propõe a fazer. Não estava fantasiada de nada, estava como ela gosta de se vestir e essa discussão toda em cima disso é uma coisa pavorosa para 2022”, disse.