Decisão da OAB sobre registro de bicheiro Rogério Andrade como advogado é adiada

Chico Otávio
·1 minuto de leitura

RIO - Um pedido de vista adiou a decisão do Conselho Federal da Ordem do Advogados do Brasil (OAB) sobre um recurso apresentado pelo bicheiro Rogério Andrade, que reivindica a inscrição como advogado nos quadros da seção fluminense da Ordem. Andrade, que é suspeito de mandar matar o rival Fernando Iggnácio e está foragido, alega que foi aprovado no exame da Ordem e é ficha limpa, sem condenações que impeçam o exercício profissional.

O recurso do bicheiro se encontra na 1ª Câmara do Conselho Federal, integrada por 27 membros e responsável por recursos sobre atividade de advocacia e direitos e prerrogativas dos advogados e estagiários, inscrição nos quadros, incompatibilidades e impedimentos. O relator do pedido, conselheiro Paulo Brincas (SC), já se manifestou a favor da inscrição, mas o processo parou após pedido de vista do conselheiro Alex Sarkis (RO), formulado na quinta-feira passada, dia 15.

Leia a matéria na íntegra, apenas para assinantes, aqui.