Defensora pública aposentada acusada de racismo e sua filha atacam jornalistas no Fórum de Niterói

A defensora pública aposentada Cláudia Alvarim Barrozo e sua filha Ana Cláudia Barrozo Azevedo perderam o controle e atacaram jornalistas ao deixarem, na tarde desta quinta-feira (17), o Fórum de Niterói, onde aconteceu audiência de instrução e julgamento do caso em que defensora é acusada de racismo — há um vídeo, de abril deste ano, em que ela chama um entregador de “macaco”. Os repórteres Erick Rianelli, da TV Globo, e Raoni Alves, do G1, filmavam a saída da dupla quando elas começaram as agressões.

FGV: PF faz operação contra esquema de corrupção, fraudes a licitações, evasão de divisas e lavagem de dinheiro envolvendo a Fundação

Veja vídeo: Responsável por tirar navio que bateu da Ponte Rio-Niterói relata momentos de perigo: 'Grau de tensão elevado'

Mostrando agressividade e descontrole, Cláudia Alvarim tenta chutar e dar um tapa em Erick Rianelli e chutar Raoni Alves, mas não acerta. Por trás, Ana Cláudia Barrozo dá um tapa na mão de Rianelli e derruba o celular do repórter no chão. De acordo com o G1, no movimento a mulher atingiu o rosto do jornalista que teve ferimento no nariz e os óculos, que também caíram no chão, danificados após a agressão.

A filha da defensora teria ainda ofendido outros profissionais de imprensa que faziam a cobertura e alegou ser “filha de diplomata” enquanto pedia para que os repórteres parassem de filmar a ação.

A defensora aposentada teve que ser contida por uma pessoa que a levou para fora do prédio. No caminho ela ainda derrubou uma placa de sinalização e arrancou um galho das plantas que ficam no canteiro em frente ao Fórum. A audiência havia sido interrompida momentos antes devido a um pedido da defesa para que fosse feita nova perícia no vídeo que mostra a discussão da defensora com os entregadores. No RJ2 a TV Globo afirmou que apoiará os jornalistas atacados.