Defesa de Bolsonaro diz ao TSE que discurso a embaixadores não teve caráter eleitoral

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Jair Bolsonaro (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Jair Bolsonaro (Foto: REUTERS/Adriano Machado)

A defesa de Jair Bolsonaro (PL) afirmou nesta quinta-feira (28) ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) que o discurso do presidente durante encontro com embaixadores não teve caráter eleitoral.

Além disso, afirmou que os ataques às urnas fazem parte de um “debate de ideias” para melhorar o sistema de votação brasileiro. A informação é do portal g1.

Veja como foram as últimas pesquisas eleitorais de 2022:

No dia 18 de julho, embaixadores se reuniram com o chefe do Executivo no Palácio da Alvorada, em Brasília, e ouviram teorias da conspiração sobre a segurança das urnas eletrônicas.

Sem provas, Bolsonaro voltou a repetir mentiras sobre as eleições no país que já foram inclusive desmentidas por órgãos oficiais.

Partidos de oposição, como PT, PDT, PCdoB e Rede, acionaram a Justiça para denunciar a reunião.

Ainda segundo o portal g1, a manifestação dos advogados de Bolsonaro foi entregue hoje ao tribunal, atendendo à determinação do presidente da corte, ministro Edson Fachin.

"O Presidente da República reafirma a confiança no sufrágio popular, mas resguarda o direito de apresentar seus legítimos questionamentos, sempre imbuído do espírito de contribuição com o processo de avaliação do sistema eleitoral brasileiro, especialmente considerando o que Sua Excelência entende relevante do teor do Inquérito Policial 1361/2018-4 da Polícia Federal e da auditoria que ainda está em curso no Tribunal de Contas da União", diz o texto.

"No mais, e de qualquer forma, inequívoco que nem o indivíduo mais entusiasta do sistema eleitoral atual brasileiro acredita que as urnas e os mecanismos de apuração/totalização não possam ser aperfeiçoados para trazer à população cada vez mais segurança”, acrescenta.

No domingo (24), o PL, partido ao qual o presidente é filiado, enviou uma manifestação, a pedido de Fachin, afirmando que não houve propaganda eleitoral antecipada.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos