Defesa de Brittney Griner recorre de condenação na Rússia relacionada a drogas

Brittney Griner dentro de cela antes de audiência em tribunal em Khimki, na Rússia

* Este conteúdo foi produzido na Rússia, onde a legislação restringe a cobertura das operações militares russas na Ucrânia

Por Filipp Lebedev

MOSCOU, 15 Ago (Reuters) - A equipe de defesa da jogadora norte-americana de basquete Brittney Griner, condenada a 9 anos de prisão na Rússia, recorreu nesta segunda-feira contra a condenação por posse e tráfico de entorpecentes.

Griner foi condenada em 4 de agosto em um veredicto que o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, chamou de "inaceitável". Os EUA dizem que ela foi detida injustamente e se ofereceu para trocá-la por Viktor Bout, um traficante de armas russo que cumpre pena de 25 anos de prisão nos EUA.

Segunda-feira era o prazo para Griner contestar o veredicto. Maria Blagovolina, sócia do escritório de advocacia Rybalkin Gortsunyan Dyakin and Partners, disse à Reuters que o recurso foi apresentado, mas se recusou a comentar mais.

Griner, duas vezes medalhista de ouro olímpica que jogava por um clube russo, foi presa no aeroporto de Sheremetyevo, em Moscou, em 17 de fevereiro, depois que cartuchos para vape com infusão de cannabis foram encontrados em sua bagagem.

Ela se declarou culpada das acusações, mas disse que não pretendia infringir a lei. "Cometi um erro honesto e espero que, em sua decisão, isso não acabe com minha vida aqui", disse Griner ao tribunal de Khimki, perto de Moscou.

Não ficou claro quando um recurso será julgado.

"Pedimos a anulação do veredicto aprovado pelo tribunal de Khimki e uma nova sentença", disse à Reuters Alexander Boikov, advogado do Centro Jurídico de Moscou que representou Griner no tribunal.

Ele afirmou que o recurso seria baseado principalmente em supostas violações no curso da investigação. A equipe de defesa de Griner argumentou no tribunal que alguns de seus arquivos do caso foram redigidos sem serem traduzidos para ela para o inglês.