Defesa do Flamengo só não é mais vazada que a do lanterna do Brasileiro e vira centro de críticas a Dome

Marcello Neves
·1 minuto de leitura
Foto: SERGIO MORAES / STF
Foto: SERGIO MORAES / STF

A crise no Flamengo passa pelo sistema defensivo. Brasileiro. Após duas derrotas levando quatro gols, para São Paulo e Atlético-MG, a defesa virou um problema para Doménec Torrent. Tanto que o setor é o segundo pior do Campeonato Brasileiro, com 29 gols sofridos em 20 jogos e só está a frente do lanterna Goiás, que sofreu 33 em 18 partidas.

Os outros três que estão no Z4 tem média maior que o Flamengo. O Vasco, em 18º lugar, levou 26 gols, equivalente a 1,4 tento por partida. Já o Botafogo, na 17ª colocação, foi superado por 23 vezes, cerca de 1,2 gols por jogo. O Athletico, em 19º, tem 21 gols sofridos. Comparando com os rivais cariocas, o Fluminense também tém média superior.

Além disso, após a goleada para o Atlético-MG, o Flamengo chegou a média de um gol sofrido a cada 27 minutos nos últimos três jogos. Desde a chegada do técnico Domènec Torrent, o Rubro-Negro soma 26 partidas disputadas e não foi vazado em apenas cinco.

Sob o comando de Domènec Torrent, o Flamengo disputou 26 partidas: 15 vitórias, cinco empates e seis derrotas. Ao todo, o time marcou 46 gols e sofreu 38. Apesar do trabalho ser muito questionado, o técnico catalão classificou o time às quartas da Copa do Brasil, além da classificação antecipada às oitavas da Libertadores.