Deixou os presentes de Natal para a última hora? Vales-presente podem ser a solução

Stephanie Tondo
Boticário é uma das lojas que possui vale-presente

Em meio às confraternizações de fim de ano e aos preparativos para as festas, muitos acabam deixando para comprar os presentes na última hora e se deparam com preços mais altos e menos opções, além de lojas cheias. Para quem não quer esquentar a cabeça, uma solução prática são os vales-presente, que podem ser usados em lojas de departamentos, restaurantes, cinemas e salões de beleza. O valor médio começa em R$ 50, mas é possível encontrar opções um pouco mais baratas, de R$ 15 a R$ 35, ou até sem limite mínimo.

Embora o presente seja prático, o consultor de varejo Marco Quintarelli alerta que a alternativa é menos charmosa do que uma lembrança comprada especialmente para o presenteado. Por isso, ele recomenda que se busque personalizar o vale:

— Essa é uma excelente opção para as compras de última hora, mas o vale-presente não pode ser seco. O ideal é que vá junto com um cartãozinho, uma dedicatória. Isso engrandece a lembrança.

Na hora de comprar o cartão, é importante que o consumidor preste atenção às condições. Alguns vales vendidos em lojas on-line, por exemplo, são apenas virtuais, outros tem um cartão físico que pode ser enviado ao presenteado. Também é necessário verificar a validade do código e em quais lojas poderá ser utilizado.

Atenção aos limites do orçamento

Uma pesquisa feita pelo Clube de Diretores Lojistas do Rio (CDLRio), que ouviu 500 lojistas da cidade, mostrou que o gasto médio dos presentes por pessoa deve ser de R$ 110, com a utilização do cartão de crédito como forma de pagamento. A planejadora financeira Myrian Lund alerta para a necessidade de se planejar para as compras, de modo a evitar o endividamento nesta época.

— Muitas pessoas vão comprando e só percebem quanto gastaram quando chega a fatura do cartão. O ideal é que o consumidor defina quanto pode gastar com presentes e, então, faça uma lista com todas as pessoas que deseja presentear, distribuindo esse valor entre elas. Pode ser que seja necessário cortar algumas pessoas ou comprar presentes mais baratos — explicou.

Além disso, Myrian afirma que comprar um presente pode acabar saindo mais barato do que dar um vale.

— Os cartões de presente têm o inconveniente de representarem um valor específico. Então, a pessoa pode ficar sem graça de dar um valor mais baixo. Com planejamento, o consumidor pode conseguir encontrar uma lembrança mais barata.

Envie denúncias, informações, vídeos e imagens para o Whatsapp do Extra (21 99644 1263).