Delator da Odebrecht que revelou pagamentos a Aécio e ex-ministro de Dilma é encontrado morto

Henrique Valladares, delator de Aécio e Edison Lobão, é encontro morto no RJ - Foto: Reprodução

Henrique Valladares, ex-vice-presidente da Odebrecht e um dos 78 integrantes da empreiteiras que se tornaram delatores da Lava-Jato, foi encontrado morto nesta terça-feira (17) em sua residência no Rio de Janeiro. A informação é do jornalista Lauro Jardim, em sua coluna do Globo.

Valladares ficou conhecido por delações abrangentes, chegando a denunciar figuras como Aécio Neves (PSDB), Edison Lobão (MDB) e até membros da CUT e lideranças indígenas.

Leia também

Ele afirmou ter pago R$ 50 milhões a Aécio Neves, hoje deputado federal, e que estavam depositados em contas no exterior.

O ex-vice-presidente da empreitara ainda revelou ter estreita relação com Edison Lobão, na época em que este era ministro de Dilma Rousseff.

Ele tornou púbica a relação próxima com lideranças indígenas. "Esse cara se tornou até meu amigo, tenho até um cocar lá em casa. O chefe da tribo lá é o Antenor Karitario. Pagava para ele R$ 5 mil por mês, depositado na conta da esposa. E mais R$ 2 mil para o Orlando que deve ser outro cacique lá da tribo."

E no da CUT, o codinome da turma da propina na planilha da Odebrecht era 'Barbudos'. Delatou Valladares. "Barbudos, esse é fácil adivinhar. Isso é para os representantes da CUT de Porto Velho".