Delegada Adriana Belém é cortada de documentário sobre Adriano Imperador após prisão

Entre tantas histórias e personagens que aparecem no documentário sobre Adriano Imperador, uma ausência tem sido sentida por quem o conhece intimamente e também para os fãs que ele conquistou ao longo da vida nos campos. A delegada Adriana Belém não aparece. Como se sabe, ela foi presa em maio pelo crime de lavagem de dinheiro.

Adriana Belém chegou a gravar um longo depoimento para o documentário. A diretora Susanna Lira e a produtora executiva Vânia Catani, responsáveis pelo projeto, foram até a casa da delegada na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, para ouvirem dela as histórias que teve com Adriano.

"Montaram um cenário, ficaram quase o dia todo lá gravando", conta uma fonte que estava no dia da entrevista.

Adriana Belém foi classificada pela produção como uma segunda mãe de Adriano. Na narrativa, ela discorreu como os dois se conheceram, da amizade que nasceu entre eles e de quando foi com ele para a Itália, enquanto ele jogava na Europa.

A delegada, presa no Instituto Penal Santo Expedito, carceragem feminina, em Bangu, na Zona Norte do Rio, questionou o filho Gabriel se tinha assistido ao documentário e como foi a participação dela, que ocuparia ao menos dez minutos do conteúdo geral. A resposta do jovem foi um não. "Várias pessoas sabem que ela gravou e não houve uma interferência do Adriano para que mantivessem o depoimento dela", relata a fonte.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos