Delegada para o clima da ONU pede mais ações na COP25

O secretário-geral das Nações Unidas, Antonio Guterres (D), e a secretária executiva da ONU, Patricia Espinosa, realizam uma coletiva de imprensa, no centro de exposições 'IFEMA - Feria de Madrid', em Madri

"Estamos caminhando na direção errada": a responsável pelo clima da ONU Patricia Espinosa pediu nesta terça-feira aos ministros reunidos em Madri para a segunda semana da COP25 que se entendam sobre a implementação do Acordo de Paris.

Recordando as palavras do secretário-geral da ONU Antonio Guterres, para quem o mundo está em um "momento decisivo" e deve escolher entre a "esperança" de um mundo melhor agindo radicalmente ou a "capitulação", Patricia Espinosa alertou que "estamos indo na direção errada".

"Não agimos com rapidez suficiente para provocar uma transformação radical da sociedade" e "os governos continuam a subsidiar as energias fósseis", lamentou esta manhã, na abertura do segmento ministerial, após mais uma semana de discussões técnicas.

Os Estados membros da conferência climática da ONU devem concluir, em teoria, até sexta-feira à noite, negociações sobre vários pontos controversos para a aplicação prática do Acordo de Paris de 2015.

Um deles diz respeito ao artigo do Acordo de Paris sobre os mercados de carbono. "Sabemos que muito trabalho técnico deverá ser feito no futuro, mas um acordo em Madri é crucial", afirmou Espinosa.

Os cerca de 200 signatários do Acordo de Paris, que visa limitar o aquecimento a um máximo de +2°C, são instados por todos os lados a acelerar suas ações para reduzir as emissões de gases de efeito estufa e limitar os efeitos devastadores das mudanças climáticas.