Delegado da Polícia Civil de SP é investigado por 'operação Rambo' na Cracolândia

·1 minuto de leitura

RIO — O delegado Carlos Alberto da Cunha, de 42 anos, é alvo de procedimento da Corregedoria da Polícia Civil de São Paulo por uma postagem no Instagram em que cita uma ação solitária na Cracolândia.O registro foi feito há seis dias. Da Cunha aparece armado na foto, acompanhada pelo texto: "Operação São Paulo em andamento. De volta às ruas. Mas agora sozinho.O tio Da Cunha só sabe de uma coisa #pracimadeles". A ação começou a ser chamada de "Operação Rambo", após publicação de uma reportagem da "Folha de S. Paulo". É uma referência ao personagem de Sylvester Stallone conhecido como "exército de um homem só".

Em nota, a Secretaria de Segurança negou que a ação citada por Da Cunha tenha acontecido. "A Polícia Civil esclarece que o delagado citado está em férias e que não houve ação da 4ª Delegacia Seccional - Norte na região da Nova Luz entre sexta-feira e hoje. A Corregedoria da Instituição instaurou um procedimento para apurar os fatos", diz o informe.

O policial responde, no total, a sete procedimentos na Corregedoria da Polícia Civil, abertos por causa de posts em redes sociais. Da Cunha é conhecido pelas postagens que faz de operações das quais participou. Somando Facebook e Instagram, ele tem mais de quatro milhões de seguidores.

O GLOBO ainda não conseguiu contato com o delegado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos