Delegado e candidato do PSOL irão para o segundo turno em Belém

TIMÓTEO LOPES
·2 minuto de leitura

BELÉM, PA (FOLHAPRESS) - Em Belém, a disputa pelo segundo turno das eleições municipais será entre a direita e a esquerda. O delegado federal Everaldo Eguchi (Patriota) irá enfrentar Edmilson Rodrigues (PSOL). Com uma reviravolta nas urnas, Eguchi ultrapassou José Priante (MDB) e Thiago Araujo (Cidadania), que nas pesquisas do Ibope disputavam uma vaga para o segundo turno na capital paraense. Eguchi teve 23,06% dos votos, contra 34,22% de Edimilson Rodrigues. O candidato do Patriota de 57 anos é delegado da Polícia Federal. Paraense de Tomé Açu, é formado em Direito e Economia. Em 2018 disputou o primeiro cargo público, como candidato a deputado federal, mas perdeu a eleição. O arquiteto e atual deputado federal Edmilson Rodrigues, 63, já foi prefeito da capital paraense por duas vezes (1996-2000) e liderou a preferência dos eleitores no primeiro turno, como o Ibope já havia antecipado. Belém é uma das 11 capitais do país que pode voltar a ser governada pela esquerda. O deputado estadual Thiago Araújo (Cidadania), um dos mais jovens candidatos no país a disputar uma prefeitura, acabou em quarto lugar, com 8,09% dos votos. Também deputado federal, José Priante (MDB) concorria à prefeitura de Belém pela terceira vez e é investigado no Supremo Tribunal Federal por suposta compra de votos na Câmara dos Deputados, na eleição de Eduardo Cunha à presidência da Casa. Ele nega as acusações. Ele ficou em terceiro, com 17,03% dos votos. Também concorreram nestas eleições para prefeito de Belém o deputado federal Cássio Andrade (PSB), o ex-vereador e operário Cléber Rabelo (PSTU), o pastor Guilherme Lessa (PTC), o ex-senador Mário Couto (PRTB), o deputado estadual Gustavo Sefer (PSD), o desenhista Jair Lopes (PCO), o médico Dr. José Jerônimo (PMB) e o pastor e deputado federal Vavá Martins (Republicanos).