Delegado preso alugou carro de luxo nos EUA por mais de R$ 18 mil

·1 min de leitura
Carros de luxo estavam entre os itens utilizados pelo delegado (Foto: Reprodução)
Carros de luxo estavam entre os itens utilizados pelo delegado (Foto: Reprodução)

O Ministério Público acessou o conteúdo de 3 dos 12 celulares do delegado Maurício Demétrio, preso acusado de chefiar uma quadrilha que ameaçava e cobrava propina de comerciantes da Rua Teresa, em Petrópolis, no Rio de Janeiro.

Segundo o Portal da Transparência, antes de ser preso, Maurício Demétrio recebia R$ 28 mil brutos por mês. Mas, para os investigadores, as mensagens encontradas no celular dele mostram que ele gastava bem mais do que isso.

As conversas dos celulares analisadas pelo Ministério Público revelaram mais detalhes da vida do policial que, para os investigadores, são incompatíveis com os seus ganhos lícitos.

Além do aluguel de uma mansão em Mangaratiba, os promotores acreditam que propinas cobradas por Demétrio também financiaram o uso de carros de luxo, como um Bentley que alugou nos Estados Unidos por 3,3 mil dólares (mais de R$ 18.700).

Os conteúdos dos aparelhos também mostram uma negociação para a contratação de um veículo blindado com seguranças para viagem a São Paulo no valor de R$ 34.330.

As investigações posteriores dos celulares deram origem a mais uma fase da operação. Elas indicam que uma das fontes de recursos para a vida de luxo do delegado foi a negociação de propina para mudar o resultado das investigações.

Segundo os promotores, ele também usou a estrutura da polícia para tentar armar falsas operações e fazia uso abusivo dos sistemas de consulta da Polícia Civil.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos