Após fala de Bolsonaro, delegados da PF cogitam demissão coletiva

Adriano Machado/Reuters

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Presidente atropelou comando da corporação no Rio ao anunciar troca de superintendente do RJ

  • No mesmo dia, após reação da classe, Bolsonaro recuou

Delegados de diferentes cúpulas da Polícia Federal pelo país não descartam um pedido de demissão coletiva após a tentativa do presidente Jair Bolsonaro (PSL) de intervir na indicação do Superintendente da Polícia Federal no Rio.

SIGA O YAHOO NOTÍCIAS NO INSTAGRAM

A informação é da colunista Monica Bergamo, da Folha de S.Paulo. De acordo com a coluna, a ação de Bolsonaro esfacelou de vez o que ainda restava de confiança de delegados da cúpula da PF no presidente. O pedido de demissão coletiva deve ser feito caso o ex-capitão insista na interferência.

Leia também

Segundo a colunista, as críticas contra o presidente são não apenas abertas, como contundentes. Um dos delegados mais prestigiados da corporação, por exemplo, afirmou que a medida seria inédita desde a redemocratização do país, na década de 1980.

O anúncio de que o superintendente da PF no Rio seria um nome de sua confiança foi feito por Bolsonaro na última quinta-feira (15). Na ocasião, disse que deslocaria um nome de Manaus para o posto, o delegado Alexandre Saraiva. Questionado sobre a interferência explícita, o presidente justificou ser ele quem mandava e que não seria um presidente “banana”.

No mesmo dia, porém, face à reação da corporação, Bolsonaro recuou.

A classe entende que, com a inferência do presidente, a corporação correria riscos sérios de sobrevivência, sobretudo à medida em que ela não deveria ser o espaço para Bolsonaro demonstrar seu poder de mando e desmando.