Demissão em massa: Snapchat vai demitir mais de 1.200 trabalhadores

Demissão em massa: Snapchat vai demitir mais de 1.200 trabalhadores
Demissão em massa: Snapchat vai demitir mais de 1.200 trabalhadores
  • O Snapchat está planejando demitir cerca de 20% do seu corpo total de funcionários;

  • A iminente demissão em massa ocorre em meio a uma queda brutal nas ações da empresa;

  • Atualmente, a companhia emprega mais de 6.400 pessoas

O Snapchat está planejando demitir cerca de 20% do seu corpo total de funcionários, ou seja, mais de 1.200 trabalhadores devem perder o emprego. A iminente demissão em massa ocorre em meio a uma queda brutal nas ações, de acordo com uma reportagem publicada na tarde desta terça-feira (30).

Os desligamentos do aplicativo de mídia social começarão a partir desta quarta-feira, segundo informações apuradas pelo site americano de notícias, The Verge . Como, atualmente, o Snapchat emprega mais de 6.400 pessoas, 20% desse número seriam aproximadamente 1.280 funcionários.

A notícia chega em meio a um cenário financeiramente caótico, uma vez que as ações do Snapchat caíram mais de 86% no ano passado, fechando em US$ 10,02 nesta terça-feira.

Os investidores recuaram os aportes nos papéis do aplicativo de mídia social, devido a queda na receita e no crescimento de usuários, Os ventos mudaram para o Snapchat após ter começado a enfrentar concorrência acirrada de rivais como Instagram, TikTok e BeReal.

De acordo com a publicação do The Verge, as divisões que serão mais afetadas pelas demissões incluem uma equipe que trabalha como suporte dos desenvolvedores na criação de aplicativos e jogos do Snapchat. Zenly, o aplicativo de mapeamento social Snap comprado em 2017 e desde então executado separadamente, também sofrerá cortes profundos.

Outra equipe que verá demissões é a divisão de hardware da Snap, responsável por seus óculos AR Spectacles e pelo drone com câmera Pixy que foi cancelado recentemente após ficar à venda por apenas alguns meses. A organização de vendas de anúncios da empresa também está sendo reestruturada.

Outras empresas de tecnologia, incluindo LinkedIn, Coinbase e Netflix, tiveram rodadas de demissões neste verão, à medida que o aumento das taxas de juros pressiona o setor. Grandes empresas de tecnologia como Apple, Microsoft, Meta e Google desaceleraram ou congelaram as contratações.