Democracia nas ruas: eventos anti-Bolsonaro são marcados pelo país

Democracia nas ruas: eventos anti-Bolsonaro são marcados pelo país

Há três semanas do primeiro turno das eleições de 2018, mulheres organizam eventos de protesto anti-Bolsonaro pelo país. Apoiadas por diversos segmentos da sociedade, como LGBTQI+, negras e negros, milhares de mulheres caminharão lado a lado no último sábado de setembro (29) para manifestar desapoio a eleição do candidato à presidência da republica pelo PSL.

Isolado na liderança com 26% das intenções de voto (Ibope), Bolsonaro provoca a reação de parte da população que pretende ir à rua contra  o “crescimento da intolerância”, e “recusam discursos de ódio, sexistas, homofóbicos, racistas” segundo as organizadoras do evento em São Paulo que já conta com mais de 250 mil confirmados ou interessados.

O movimento dado início nas redes sociais com grupos de mulheres unidas para barrar o avanço da candidatura, agora já conta com mais de 100 locais espalhados pelo país. “Temos lados, apoiamos programas políticos diversos e sabemos discutir com respeito. Juntas mostraremos o que é fazer política de forma democrática” escreveram as organizadoras.

Também marcado para o mesmo dia, o evento “LGBTQI+ em apoio às mulheres contra Bolsonaro – SP¨ já soma 15 mil interessados. Os eventos se disseminam pelo interior e capitais. 

Largo da Batata e Cinelândia

Palco da maior manifestação desde as Diretas Já! em junho de 2013 e do maior ato nacional em memória de Marielle Franco, Largo da Batata (SP) e a Cinelândia (RJ), respectivamente, serão novamente palco de mais um capítulo da democracia brasileira.

Com fortes anseios de transformação política e social, 5 anos após junho de 2013 o país encara suas eleições mais pluralizadas desde a redemocratização.

O discurso de segurança pública esteve no centro dos debates, em um contexto marcado pela violência política como o que deixou o país de luto pelo assassinato não resolvido da vereadora e ativista Marielle Franco, nesse contexto mulheres marcharão “contra o fascismo que tenta controlar nosso Brasil”.