Democratas sabotam adoção de lei eleitoral no Texas

·2 minuto de leitura
Apoiadores dizem que o projeto de lei do Senado se destina a tornar as eleições mais seguras, mas seus críticos alegam que o objetivo é dificultar o voto das minorias étnicas, em geral pró-democratas

Congressistas democratas do estado do Texas, nos EUA, sabotaram a adoção, na noite de domingo (30) de uma lei eleitoral classificada pelo presidente Joe Biden como um "ataque à democracia".

A lei está sendo promovida pela bancada republicana à imagem de outras já adotadas na Geórgia e na Flórida. Oficialmente, seus defensores afirmam que ela aumentará a segurança das eleições, ao proibir o voto por "drive-in" ou instaurando restrições nos horários de votação e no voto pelo correio.

Seus críticos alegam, no entanto, que as limitações tornarão mais difícil o voto das minorias, em especial o eleitorado negro, que tende a optar pelos democratas.

Ontem à noite, legisladores democratas abandonaram em massa a sede do Congresso estadual. Com isso, o quórum mínimo necessário para aprovar a lei não foi alcançado. A sessão teve de ser adiada, afogando as esperanças dos republicanos de verem a lei aprovada na legislatura atual.

"Os republicanos chegaram à sessão legislativa determinados a aprovar uma legislação que teria manipulado nossa democracia a favor deles", tuitou a representante (cargo que equivale ao de deputada no Brasil) democrata Jessica Gonzalez.

"Esta noite, os democratas texanos traçaram uma linha na areia e indicaram claramente que lutaremos dia e noite, com todas as táticas à nossa disposição, pelo direito de vocês de votar", acrescentou.

Já o governador do Texas, o republicano Greg Abbott, que aprova as mudanças eleitorais, disse estar pronto para convocar uma sessão extraordinária para aprovar este projeto de lei.

Os republicanos, que dizem querer tornar as eleições mais seguras, invocam, com frequência, as acusações de fraude que continuam a ser defendidas e promovidas pelo agora ex-presidente Donald Trump. Sem apresentar qualquer prova, o republicano continua a afirmar que a eleição presidencial de novembro passado, marcada pela vitória de Biden, foi-lhe "roubada".

Desde a eleição presidencial, os projetos de lei que limitam o acesso ao voto se multiplicaram em vários estados por iniciativa dos republicanos.

No sábado, Biden disse que a lei no Texas é "parte de um ataque à democracia que constatamos, muito frequentemente, este ano e que afeta desproporcionalmente" os americanos negros e outras minorias.

Biden voltou a pedir ao Congresso dos Estados Unidos que adote dois textos destinados a favorecer a expressão do direito de voto para todos os americanos. Sua aprovação é difícil, porém, em meio a uma estreita maioria democrata.

bur-leg/jfx/lch/pz/rsr/tt