"Denúncias de fraude" em eleições da Bolívia levaram a renúncia de Morales, diz Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro em Brasília, em 5 de novembro de 2019

O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste domingo que as denúncias de fraude nas eleições da Bolívia levaram à renúncia de Evo Morales. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse se tratar de um "golpe de Estado".

"Denúncias de fraudes nas eleições culminaram na renúncia do Presidente Evo Morales. A lição que fica para nós é a necessidade, em nome da democracia e transparência, contagem de votos que possam ser auditados. O VOTO IMPRESSO é sinal de clareza para o Brasil!", tuitou o presidente.

Horas antes, o governo brasileiro havia expressado em um comunicado sua "profunda preocupação com as graves irregularidades" nas eleições da Bolívia, conforme apontou o relatório da auditoria ao processo realizado pela Organização de Estados Americanos (OEA).

Na nota emitida pela chancelaria, o Brasil afirmou ser necessária a convocação de novas eleições na Bolívia.

A opinião de Bolsonaro foi oposta à do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

"Acabo de saber que houve um golpe de Estado na Bolívia e que o companheiro @evoespueblo foi obrigado a renunciar. É lamentável que a América Latina tenha uma elite econômica que não saiba conviver com a democracia e com a inclusão social dos mais pobres", tuitou Lula.

Morales renunciou depois que os chefes das Forças Armadas e da Polícia pediram sua renúncia diante dos violentos protestos no país por causa das questionadas eleições de 20 de outubro.