Denúncia de assédio veio após crítica à PM, diz pré-candidato ao governo de MS

Marquinhos Trad, ex-prefeito de Campo Grande, é acusado de assédio sexual. (Foto:Reprodução)
Marquinhos Trad, ex-prefeito de Campo Grande, é acusado de assédio sexual. (Foto:Reprodução)
  • Marquinhos Trad é investigado por importunação sexual, prostituição e estupro

  • Quatro mulheres deram depoimentos contra o ex-prefeito

  • Defesa alega que denúncias são retaliação por críticas à PM

Marquinhos Trad (PSD), ex-prefeito de Campo Grande e pré-candidato ao governo de Mato Grosso do Sul, está sendo investigado pela Polícia Civil por acusações de assédio sexual, importunação sexual, favorecimento a prostituição, estupro e tentativa de estupro.

O inquérito ainda tem outras três pessoas como alvos. A investigação começou depois que quatro mulheres deram depoimentos, nos dias 4 e 5 de julho, na Corregedoria da Polícia Civil. Segundo elas, Trad mantinha relações sexuais com as vítimas em troca de promessas de vantagens, incluindo um emprego público. Os assédio muitas vezes ocorriam no banheiro de seu gabinete.

A defesa do ex-prefeito nega as acusações e afirma que se trata de uma conspiração política. Ainda segundo a defesa, os depoimentos foram feitos como retaliação às críticas de Trad à Polícia Militar, depois que um indígena morreu em confronto com agentes, em Amambai, em junho.

Depois de se posicionar, ele teria sido ameaçado por mensagens por Antonio Carlos Videira, atual secretário de Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso do Sul. A defesa compartilhou prints da conversa.

A assessoria de imprensa de Trad enviou um documento a reportagem contendo prints da suposta conversa. “Não respeita ninguém, nem mirim. Esse cidadão tem que lavar a boca para falar da polícia. Não tem moral para falar da polícia. Não tem moral para falar sobre nenhum tipo de crime esse cidadão aí…”, escreveu Videira em uma mensagem, obtida pelo portal G1.

Via assessoria de imprensa, a Secretaria Estadual de Segurança Pública afirma que o secretário já se pronunciou sobre esse assunto e que não irá comentar mais.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos