Denunciado pelo próprio pai, jovem é preso suspeito de assassinar namorada a tiros

·2 minuto de leitura
Joana foi morta a tiros - Foto: Reprodução/Facebook
Joana foi morta a tiros - Foto: Reprodução/Facebook
  • Joana Fabris Deon foi morta a tiros no último sábado

  • Seu namorado, Paulo Eduardo, afirmou que ela reagiu a um assalto e foi baleada

  • Posteriormente, porém, o pai de Paulo denunciou o filho pela morte da jovem

Um rapaz de 19 anos foi preso pela morte da namorada, da mesma idade, em Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul. Paulo Eduardo Scaravonatto foi denunciado pelo próprio pai, após tentar enganar a polícia.

De acordo com informações do UOL, Joana Fabris Deon foi morta a tiros no último sábado. Ela deu entrada em um hospital da região com ferimentos a bala no tórax, mas não resistiu e morreu momentos depois.

Leia também:

Paulo foi levado à delegacia, afirmou que ele e a namorada haviam sido assaltados e que a jovem foi baleada por um suposto criminoso após reagir.

O rapaz chegou a ser liberado, e o caso foi registrado como latrocínio. Horas depois, porém, o pai de Paulo procurou a Polícia Civil e contou que o autor do crime era, na verdade, seu próprio filho.

Namorado teria sido responsável pelo assassinato da jovem - Foto: Reprodução/Instagram
Namorado teria sido responsável pelo assassinato da jovem - Foto: Reprodução/Instagram

"O pai disse que não se tratava de um roubo e que era mentira a versão. Falou que o filho teria matado a moça. A partir daí, mudamos o delito para feminicídio e passamos a realizar a investigação, com perícia no local e nas imediações”, explicou ao UOL Deise Ruschel, titular da Delegacia de Atendimento à Mulher.

Após uma breve investigação, a polícia concluiu que as informações do pai de Paulo eram verdadeiras. Os agentes encontraram sangue da vítima na casa do rapaz. Além disso, testemunhas reforçaram a denúncia do homem.

Rapaz deu nova versão

Paulo foi detido preventivamente e deu uma segunda versão em novo depoimento. Nele, afirmou que a arma estava na mão da própria Joana quando um disparo foi dado acidentalmente e a atingiu.

"Ele não confessou nada, mas disse que a vítima estava com a arma na mão e que aconteceu o que ele chamou de acidente. O pai deu bastantes detalhes de como foi a dinâmica e, a partir disso, entendemos que foi o rapaz que matou", explicou Deise.

Segundo testemunhas, Paulo está desempregado e há dois meses namorava com Joana. A família da vítima não acredita na versão do rapaz sobre o tiro acidental.

"A gente não acredita em acidente, mas deixaremos que a Justiça faça o seu trabalho. O que a gente vê é que o algoz deseja responsabilizar a vítima, o que é um absurdo. Ela foi vítima da ingenuidade porque acreditava em todo mundo", comentou o tio da jovem, Luiz Fabris.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos