Denunciado por atropelamento com homicídio culposo, Marcinho é contratado pelo Athletico-PR

·1 minuto de leitura

Após ser denunciado pelo Ministério Público do Rio por homicídio culposo na direção de veículo pelo atropelamento que matou os professores Maria Cristina José Soares e Alexandre Silva de Lima, o lateral-direito Marcinho foi contratado pelo Athletico Paranaense.

A informação foi divulgada pelo próprio clube nesse domingo, por meio do Twitter.

— O Athletico era tudo que eu queria. Um clube com projeto, com ambição, que quer continuar conquistando grandes coisas, figurando no mais alto nível do cenário nacional e internacional. É também um grande clube e estou muito feliz e realizado de estar aqui. Quero corresponder às expectativas — declarou o jogador, de 24 anos.

No dia 30 de dezembro, por volta das 20h30, o ex-jogador do Botafogo atropelou o casal que, no momento do acidente, atravessava a Avenida Lúcio Costa, no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste.

De acordo com a denúncia, há ainda o agravante de Marcinho não ter parado para prestar socorro às vítimas. Durante as investigações do caso, feitas pela 42ª DP (Recreio dos Bandeirantes), Marcinho alegou ter fugido do local do atropelamento com medo de ser linchado, já que constantemente recebia ameaças da torcida do Botafogo.

Ele abandonou o seu Mini Cooper na Rua Professor Hermes Lima. Depois de ser periciado, o carro foi rebocado para a garagem do prédio onde mora o pai do lateral-direito.

No Twitter, a contratação recebeu críticas por parte dos seguidores, que questionaram o porquê de o clube contratar um jogador investigado por assassinato.