Departamento de Justiça dos EUA diz que equipe de Trump escondeu documentos confidenciais

Documentos recuperados na casa de Donald Trump

Por Sarah N. Lynch e Dan Whitcomb

WASHINGTON (Reuters) - O Departamento de Justiça dos Estados Unidos disse ter evidências de que documentos confidenciais foram deliberadamente escondidos do FBI quando a instituição tentou recuperá-los em junho da propriedade do ex-presidente Donald Trump na Flórida, levando a uma busca sem precedentes em sua casa.

Em um arquivo de 54 páginas, os promotores apresentaram na terça-feira suas evidências de obstrução da justiça, alegando publicamente pela primeira vez que os assessores de Trump certificaram falsamente em junho que o ex-presidente havia devolvido todos os registros do governo que ele havia armazenado em sua casa após deixar a Casa Branca em janeiro de 2021.

Também revelaram que os advogados de Trump "proibiram explicitamente que funcionários do governo abrissem ou olhassem dentro de qualquer uma das caixas" dentro de uma sala de armazenamento quando os agentes do FBI viajaram pela primeira vez para seu resort Mar-a-Lago em Palm Beach, em junho, para recuperar os registros.

"O governo também desenvolveu evidências de que os registros governamentais provavelmente foram escondidos e removidos da sala de armazenamento e que esforços foram feitos para obstruir a investigação do governo", disse o departamento em um documento na Corte Distrital dos EUA no distrito sul da Flórida.

Os arquivamentos do Departamento de Justiça vêm antes de uma audiência na quinta-feira perante a juíza Aileen Cannon em West Palm Beach. Ela está avaliando o pedido de Trump de nomear um perito especial que conduziria uma revisão privilegiada dos documentos apreendidos em Mar-a-Lago em 8 de agosto, muitos dos quais classificados como confidenciais.

A busca na casa de Trump em 8 de agosto foi uma escalada significativa de uma das várias investigações federais e estaduais que Trump está enfrentando.

O Departamento de Justiça disse na terça-feira que tentou várias vezes recuperar todos os registros.

Mas, em última análise, desenvolveu evidências para sugerir que mais materiais permaneceram em Mar-a-lago e foram escondidos dos investigadores.

O FBI posteriormente retirou 33 caixas adicionais e outros itens durante sua busca em 8 de agosto, alguns dos quais foram marcados como "top secret" - o nível de classificação reservado para os segredos mais bem guardados do país.

As defesas de Trump sobre por que ele reteve os materiais mudaram, e ele não ofereceu uma razão pela qual não devolveu todos os registros.

(Reportagem de Sarah N. Lynch em Washington e Dan Whitcomb em Los Angeles)