Departamento de Justiça dos EUA encontra mais itens sigilosos na casa de Biden

Por Nandita Bose e Matt Spetalnick

WASHINGTON (Reuters) - Uma nova busca na casa do presidente Joe Biden em Wilmington, Delaware, realizada na sexta-feira pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos, encontrou mais seis itens, incluindo documentos com marcações de sigilo, disse um advogado do presidente em comunicado na noite de sábado.

Alguns dos documentos sigilosos e "materiais relacionados" datam do mandato de Biden no Senado dos EUA, onde representou Delaware de 1973 a 2009, segundo seu advogado, Bob Bauer. Outros documentos eram de seu mandato como vice-presidente no governo Obama, de 2009 a 2017, disse Bauer.

Ao longo de uma busca que durou mais de 12 horas, o Departamento de Justiça também obteve algumas anotações que Biden fez pessoalmente como vice-presidente, segundo o advogado.

O presidente ofereceu acesso "à sua casa para permitir que o DOJ realizasse uma busca em todas as instalações em busca de eventuais registros da vice-presidência e material confidencial", disse Bauer.

Nem Biden nem sua esposa estavam presentes durante a busca, disse o advogado. Biden está em Rehoboth Beach, Delaware, no fim de semana.

Outros registros confidenciais do governo foram descobertos este mês na residência de Biden em Wilmington e em novembro em um escritório particular que ele manteve em um think tank de Washington, DC, depois de encerrar seu mandato como vice-presidente no governo Obama em 2017.

A nova busca mostra que os investigadores federais estão avançando rapidamente com a investigação sobre os documentos confidenciais encontrados em posse de Biden. Este mês, o procurador-geral dos EUA, Merrick Garland, nomeou um conselheiro especial para investigar o assunto.

O conselheiro especial Robert Hur, que foi nomeado durante o processo, está investigando como o presidente e sua equipe lidaram com documentos confidenciais da era Obama que foram recentemente encontrados em posse privada de Biden.

Os republicanos compararam o processo à investigação em andamento sobre como o ex-presidente Donald Trump lidou com documentos confidenciais após sua presidência. A Casa Branca observou que a equipe de Biden cooperou com as autoridades em sua investigação e entregou esses documentos. Trump resistiu a fazê-lo até uma busca do FBI em agosto em seu resort na Flórida.

A busca aumenta os riscos legais e políticos para o presidente, que insistiu que a descoberta anterior de material classificado em sua casa e antigo escritório acabaria sendo considerada inconseqüente.